Quem temos chance de ver no Lollapalooza 2017

Ontem foram abertas as vendas dos ingressos do Lollapalooza 2017, que acontece em São Paulo nos dias 25 e 26 de março. O Lollapalooza segue o modelo dos grandes festivais internacionais, no sentido de verdadeiro antro de culto à música, com diversas atrações tocando ao mesmo tempo em diferentes palcos. Na verdade, o próprio festival já é uma atração em si e vale muito a pena ir mesmo que não tenham muitas bandas que conheça se apresentando. A proposta é bem cumprida e os espectadores sempre saem do festival conhecendo novos músicos e bandas.

Alvo de muitas críticas, a política de vendas não é muito popular. Os ingressos mais baratos ~não que seja barato~são disponibilizados antes do público saber o line-up do festival, dando a opção de comprar às cegas se quiserem pagar menos. Muitos desconfiam e não fazem. Outros, pagam só pelo clima do festival. De qualquer forma, já dá para termos uma ideia do que pode se apresentar nessa edição:

Metallica

Sim, o festival Lollapalooza é destinado à apresentação da música alternativa e independente, mas esse perfil vem mudando com o tempo. Nas últimas 2 edições o festival chamou rappers e Djs como headliners que provocaram um certo estranhamento dos frequentadores mais assíduos. No entanto, mesmo reconhecendo que o Lolla deve dar uma diversificada, os organizadores devem optar para uma pegada mais rock pesado do que eletrônica. Como anunciou o jornal profeta Destak, o Metallica teria fechado para se apresentar nas edições de 2017 do festival.

The Strokes

Assim como o Mettalica, o Destak também deu como certa a participação da banda norte-americana The Strokes. Os nova-iorquinos vinham de alguns anos de hiato e projetos solo, mas vêm se reunido nos últimos anos com direito a lançar 3 singles no começo desse ano. The Strokes se apresentou apenas uma vez no Brasil, em 2011, mas possui uma grande legião de fãs nas terras tupiniquins. Certamente será um dos shows mais aguardados dos últimos tempos. Com a sua vinda, o site Popload ainda afirmou que os integrantes Julian Casablancas, Albert Hammond Jr., Nick Valensi e Nikolai Fraiture, iriam se apresentar individualmente durante o festival. Apenas o baterista brasileiro Fabrizio Moretti se dedicaria unicamente aos Strokes, mas bem que poderia rolar um show do Little Joy, sua banda com Rodrigo Amarante, para matar aquela saudade.

Radiohead

Após voltar a se apresentar esse ano pela Europa e lançar um novo álbum, os britânicos do Radiohead se apresentaram na edição alemã e norte-americana do Lollapalooza. Sabemos que o festival tentou chamá-los para se apresentar em 2015, colocando Pharell Williams em seu lugar. Um novo aproach não parece ser tão improvável assim tendo em vista que o show cairia como uma luva no cenário do Lolla Brasil.

The XX

O site Popload noticiou a participação da banda de indie britânica The XX se apresentando no Lollapalooza brasileiro. A banda também possui um grupo fiel de seguidores no Brasil e já se apresentou por aqui algumas vezes.

The Weekend

Segundo o site Popoload, a parte pop vai ficar a cargo do cantor The Weekend que ganhou muita popularidade nos últimos anos. Essa seria a primeira vez que o cantor se apresentaria no Brasil e nada como um Lollapalooza para fazer uma bela estreia.

The Last Shadow Puppets

Aparentemente confirmado no Lollapalooza chileno, o Last Shadow Puppets vem de uma longa temporada de apresentações nos festivais europeus e norte-americanos. O projeto dos melhores amigos Miles Kane (ex-vocalista do The Rascals) e Alex Turner (vocalista do Arctic Monkeys) lançou o seu segundo álbum no início desse ano e teve uma boa receptividade. O Lollapalooza parece ser o festival ideal para recebê-los aqui no Brasil.

Lana del Rey

Outra também cotada para se apresentar na edição argentina e chilena é a norte-americana Lana del Rey, dona de uma carreira de sucesso e é uma das expoentes do pop indie. Pode também ser mais uma das novidades que o Lollapalooza irá nos trazer.

Weezer

Por fim, podemos também apostar na vinda dos estado-unidenses do Weezer, um dos principais grupos de rock alternativo da década de 90. Após a ruptura de 2013, a banda se reuniu e lançou um novo álbum este ano o que pode significar uma nova turnê. E como toda turnê que se preze, o Brasil deve ser local certo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.