FILHAS DE LESBOS

Diana et Calisto — óleo sobre tela — François Boucher — cerca de 1752

FILHAS DE LESBOS 
 
Já aos lábios as lésbias se amam. Elas 
Se abraçam sobre a relva junto a fonte. 
 — Serão ninfas que agora tenho à fronte 
Ou não mais que delírios baldos? — Belas 
 
E ávidas em trocar carícias… Vê-las 
É ter que talvez à Hélade remonte 
O amor mais delicado que se conte 
Entre duas pessoas juntas! D’elas 
 
Acercam-se cupidos a ver: Duas 
Raparigas co’as linfas liquescentes
D’expostos e excitados sexos!… Nuas, 
 
Ao gozo têm espasmos tão frementes 
Que as pupilas às órbitas vão!… Suas 
Mãos se apertam mais… Forte!… E caem ausentes. 
 
Belo Horizonte — 16 05 1996


Dê uma salva de palmas para esta multíscia criação e aprecie as publicações de Oecihen: Onde os Ermos Seres Abissais ascendem à Etérea Escrita.