Pierre-Auguste Renoir — Portrait of Edmond Maitre (The Reader) 1871

Se é noite, leia-me

Se é noite, leia-me
Jamais o faça à luz do dia,
Pois que del’a melancolia
É vital p’r’assimilar-me;

P’ra que possas ler-me
Imerjas-te na tenra afonia
Não olvides tu a bonomia
Crucial p’ra discernir-me;

Contemple-te em arritmia
Não impeças tu a cinesia
Vinda d’encanto e de horror

Pois que a noite em agonia
Veio-a-ser como uma sina
De meu prazer e minha dor

Comportando minha essência
Por meio da veemência
De seu lúgubre licor.

Escrito por Oanna Selten
Originalmente publicado em: oannaselten.com/escritos/se-e-noite-leia-me

Dê uma salva de “claps” para esta multíscia criação e aprecie as publicações de œcihen; arte, cultura e filosofia.