Desafio de férias, atividade 3: ir ao cinema predileto à tarde

Atividade patrocinada pela Alice Baldan, com auxílio luxuoso de Julia Levy

Terça-feira, 8 de março

Não planejar é um problema para quem passa 11 meses do ano olhando para calendário e planilha, baixando e subindo arquivos, olhando para três fusos horários diferentes. É complicado dizer “na hora decido”.

Quando eu pensei nesta atividade na semana anterior, eu escolhi cinema, filme e hora. Mas depois me toquei que isso talvez fosse contra o propósito. A graça não é simplesmente entrar no cinema porque está com tempo? Então eu decidi que decidiria na hora.

Foi bom porque: a) eu tive tempo de almoçar com a Julia tranquilamente, colocar o papo em dia sem olhar para o relógio e b) eu vi um filme que tinha passado completamente desapercebido por mim.

Assisti A Ovelha Negra, que é partes iguais de comédia e drama e emocionante de um jeito diferente. Não faz você chorar, mas no final você entende todos os movimentos do protagonista. Família é um assunto delicado, e o que é muito errado pode ser a coisa mais correta a fazer.

A Ovelha Negra é contido, silencioso (mas em nenhum momento monótono, a história anda como um conto). Foi um bom contraste, porque naquele dia eu tive conversas ao vivo e via Facebook que foram bem interessantes. Eu estava cheia de coisas na cabeça (ainda estou), que precisam ser processadas por partes iguais de conversa e silêncio. Conversas diferentes, silêncios diferentes.

E que lugar melhor para encontrar equilíbrio do que uma sala de cinema?