Como consegui criar 3 novos hábitos em 3 meses

Criar um novo hábito é um problema bem comum. Raramente estamos satisfeitos com nossa situação atual, mas ao mesmo tempo sair da inércia nem sempre é uma coisa fácil.

No meu caso, precisei de 3 itens para conseguir adotar novos hábitos na minha vida: organização, disciplina e tecnologia. A parte da tecnologia eu vou explicar melhor ao longo do texto, principalemnte na dica número 2 (abaixo).

Minha intenção com esse post é mostrar qual foi o método que usei para incorporar novos costumes na minha rotina nesses últimos meses. Para isso, vou:

  • Compartilhar 5 dicas importantíssimas

Ps.: cada pessoa funciona de um jeito. Tudo o que está escrito aqui é o que funcionou para mim, então seja crítico para filtrar o que é realmente válido para você.


As 5 dicas matadoras:

1. Um hábito por vez

Descobri que um dos principais erros das pessoas é tentar mudar de vida total e instantaneamente. Ou seja, criar vários novos hábitos ao mesmo tempo. Isso é bem comum nas promessas de final de ano (e que na maioia das vezes se repete anualmente), que são nesse estilo:

Dia 1 de janeiro vou começar a acordar cedo, começar a dieta, entrar na academia, começar a ler, criar um blog, começar a investir meu dinheiro…

Mas a grande verdade é que isso não funciona. Criar um novo hábito demanda tempo. Segundo estudo publicado no European Journal of Social Psychology, são necessários aproximadamente 66 dias para isso acontecer.

Além disso, uma coisa que percebi é que tentando fazer muitas coisas ao mesmo tempo, se uma delas começa a falhar, a motivação para todas as outras pode diminuir consideravelmente.

Assim, a primeira dica é essa: faça uma lista das coisas que você pretende incorporar na rua rotina, e tente iniciar um novo costume por vez. Quando sentir que está começando a incorporar o primeiro, passe para o segundo, e assim sucessivamente. Atualmente a minha meta é iniciar um novo hábito por mês.

2. I see apps… Apps everywhere

Gosto bastante de tecnologia, e sou um tanto quanto viciado em fazer tudo pelo meu telefone. Consequentemente, a primeira coisa que eu fiz para criar novos hábitos foi procurar aplicativos que pudessem me ajudar com cada um deles.

Fiz alguns testes, e ao longo do texto vou citar os aplicativos que usei para cada um dos novos hábitos da minha rotina. ;)

Os aplicativos que mudaram minha vida!

3. Keep it simple!

Como eu já disse, o meu gosto pela tecnologia sempre me faz procurar por ferramentas que me ajudem em qualquer situação. Mas com o tempo, descobri que eu procurava essas ferramentas da forma errada.

Sempre procurei os "melhores aplicativos" ou as "melhores ferramentas" para resolver algum problema. Mas com o tempo fui percebendo que "melhores ferramentas" geralmente é um sinônimo de "ferramentas mais completas", que muitas vezes pode ser interpretado como "ferramentas mais complexas". E complexidade às vezes pode ser uma barreira para fazer uma atividade frequentemente.

Então ao invés de procurar pelas "melhores ferramentas", passei a procurar as "ferramentas mais simples". A mudança na pesquisa foi bem pequena, mas os resultados foram incríveis, como vou exemplificar mais à frente.

Tenho a noção de que com o tempo, à medida que for necessário, a complexidade dos aplicativos que uso vão ter que aumentar. Mas com a base daquele hábito já criada, fica mais fácil fazer isso gradativamente.

4. Gatilhos

O sentido que me refiro a um gatilho é uma ação que é sempre feita imediatamente antes do novo hábito que eu quero incluir. A ideia é chegar ao ponto de realizar essa nova atividade inconscientemente, de forma automática, logo após o gatilho.

Por exemplo: a última ação que eu fazia nos meus dias antes de deitar para dormir era escovar os dentes. Então eu já estava condicionado a automaticamente me deitar para dormir após escova-los. Nesse caso o meu gatilho para dormir era escovar os dentes.

Um outro caso é ir à academia. Eu me condicionei a fazer isso sempre após o café da manhã, então o meu gatilho para ir para a academia é tomar o café da manhã.

5. Motivação

Existem várias formas de se manter motivado. O que funcionou comigo foi uma mistura de resultados com recompensas.

Por mais clichê que pareça, resultados positivos são muito motivadores. Mas o que realmente fez diferença para mim foi perceber as pequenas vitórias. Sempre que fazemos algo novo, é inevitável aumentarmos nossa expectativa, e consequentemente colocar barreiras muito altas nos nossos objetivos. Mas na maior parte das vezes, grandes resultados são atingidos a longo prazo, o que pode diminuir a motivação ao longo do tempo. Por isso essas pequenas vitórias são tão importantes, elas ajudam a manter a motivação em alta! A parte mais difícil é percebê-las e valoriza-las.

Por recompensas, eu não quis dizer apenas bens materiais ou financeiros. Existem também formas de recompensa mental, como algumas horas a mais de descanso, a sensação de dever cumprido e a certeza de que aprendi algo novo.

E como eu juntei os resultados às recompensas?

Small win = recompensa mental

Big win = recompensa material

Ou seja, percebendo e valorizando cada pequena vitória eu me permito descansar por mais tempo (por exemplo vendo séries, vídeos, jogando Counter-Strike). Além de me sentir bem, com a certeza que hoje eu sou uma pessoa melhor que ontem. Eu costumo avaliar as minhas small wins diariamente, ou seja, um dia que o novo hábito foi executado

Mas de fato eu não vivo só de recompensas mentais hahaha. A cada objetivo grande cumprido, eu me presenteio com alguma coisa (nem que seja alguma comida diferente ou uma cerveja artesanal). Um objetivo grande para mim é, geralmente, a meta mensal. No caso de novos hábitos, é quando eu realmente me sinto acostumado a fazer alguma coisa.

Essas 5 dicas se tornaram o meu guia pessoal de como adotar novos hábitos. E é claro que por mais que eu tenha esse meu guia, mudar alguma coisa na vida não é trivial, exige bastante esforço.


Afinal, quais foram esses hábitos?

Leitura

Esse certamente foi o hábito mais difícil para mim. Nunca consegui me manter motivado a ler com frequência. Eu não fazia isso nem na época do colégio e do vestibular, que a leitura era obrigatória. Eu vivia à base dos famosos "estudos de obra".

Depois de passar essa fase do colégio, tentei várias vezes desenvolver o costume de ler, mas fracassei miseravelmente por dois motivos:

  1. A sensação de começar algo e não terminar me incomoda muito, e eu não percebia as small wins (cada página lida), o que me deixava desmotivado.

Como já escrevi nas recomendações do meu site pessoal, o aplicativo 12 Minutos me ajudou consideravelmente a começar a ler com frequência. Isso porque ele resolveu esses dois problemas.

Para quem ainda não conhece, o 12min é um aplicativo de resumos de livros de não-ficção. Ele contém microbooks que podem ser lidos (ou escutados) em aproximadamente 12 minutos.

Eu o incluí na minha rotina da seguinte forma: o momento do dia que eu costumo ser menos produtivo é logo após o almoço. Então eu aproveitei disso para usar o almoço como meu gatilho para ler um microbook no aplicativo. Com isso eu passei a ter a sensação de terminar de ler o texto, por mais que fosse um resumo, e assim me mantive motivado para fazer isso diariamente.

Gatilho: almoçar
Small wins: terminar um microbook
Big win: ler todos os dias em um mês
Recompensa mental: aprender algo novo diariamente, sensação de dever cumprido por terminar o texto
Recompensa material: comprar um livro físico

Depois que comecei a me acostumar com a leitura, comecei a aplicar também esse meu método para me acostumar a ler livros físicos. Dessa forma, tive que começar a valorizar mais o que eu determinei como pequena vitória, já que eu não teria mais a sensação de terminar um texto inteiro.

Hoje leio diariamente, nem que sejam cinco páginas apenas. O que eu estou fazendo para me manter animado é alternar um livro de não-ficção com um de ficção/fantasia. Está sendo importante para não repetir muito os temas, e também por esse livro de ficção/fantasia poder ser usado como recompensa material, um tempo relativamente grande de descanso. Assim eu consigo usar o próprio hábito como uma forma de recompensa, criando um ciclo que se retroalimenta.

Gatilhos: almoçar; escovar os dentes à noite
Small wins: abrir o livro para ler (independente do total de páginas lidas)
Big win: ler um livro de não-ficção em um mês
Recompensa mental: aprender algo novo, sensação de dever cumprido
Recompensa material: ler um livro de ficção/fantasia em seguida

Anotações

Eu sempre gostei muito de "depender" da minha memória para as coisas, sentia que era algo que me forçava exercitar a cabeça. Porém até pouco tempo atrás, minha vida girava apenas em torno da universidade.

Mas depois que comecei a trabalhar na Usemobile_br, e comecei a ter cada vez mais responsabilidades dentro da empresa, comecei a falhar bastante no que diz respeito a fazer tudo o que eu deveria. É IMPOSSÍVEL lembrar de tudo.

Além disso, eu tinha certeza que eu era o rei do multitasking! Era só me mandar algo para fazer, que eu já fazia na mesma hora, junto com as outras 63 atividades que eu estava fazendo ao mesmo tempo. #sqn

No fim das contas eu não fazia nenhuma delas direito, ou então nem lembrava de terminar. A falta de foco matou minha produtividade.

Depois de reler o resumo de Getting Things Done no 12min, percebi que realmente o que estava faltando era ter anotações de tudo o que eu tinha que fazer.

Então procurei aplicativos de lista de tarefas. Passei pelo Notas (nativo do iOS), Evernote, Wunderlist, Asana, Google Calendar, até chegar no Any.do.

O Notas é simples até demais para a função de lista de tarefas, mas ainda uso bastante para anotações curtas e insights.

O Evernote é excelente, mas ele funciona muito melhor como uma "prateleira de cadernos" do que como lista de tarefas (apesar de ter também a opção de checklist). Ainda uso bastante para anotações e textos maiores.

O Asana é bem mais completo do que eu preciso atualmente, ele é mais focado em gestão de projetos/equipe. Hoje eu ainda uso, mas juntamente com meu orientador de TCC. Por lá nós dois conseguimos nos manter atualizados quanto ao andamento das atividades do meu TCC.

Cheguei a tentar usar os lembretes e tarefas do Google Calendar, mas não funcionou comigo. Para mim, o Google Calendar é realmente um calendário, e não uma lista de tarefas. Como calendário ele é excelente, e uso bastante.

Dentre esses aplicativos, o que eu me adaptei melhor foi o Any.do. O que eu mais gostei nele foi a forma de organização e a simplicidade, aliados à usabilidade e sincronização (ele tem versões web, desktop e mobile). Junto a isso, ele me dá várias small wins por dia, a cada tarefa que eu marco como realizada. E a forma com que essa marcação de conclusão de tarefas é feita na versão mobile (deslizando o dedo horizontalmente, simulando um risco) me dá uma sensação ainda melhor de dever cumprido.

Hoje, mais do que acostumado a anotar tudo, estou 100% dependente disso. Eu até brinco dizendo que "se não anotei, não existe". Por um lado esse hábito pode parecer ruim, justamente por causa dessa dependência das anotações.

Mas por outro, as anotações me ajudaram muito a me manter focado no que eu estou fazendo em um determinado momento, aumentando muito minha produtividade. E além disso, posso "gastar" meu cérebro com o que realmente importa, e fazer o que nenhuma anotação pode fazer por mim: PENSAR.

Gatilhos: abrir o computador; sempre que surge uma atividade a ser feita
Small wins: marcar uma atividade como feita; usar o app diariamente
Big win: usar o app todos os dias do mês
Recompensa mental: sensação de produtividade e de dever cumprido
Recompensa material: variada (alguma comida, bebida, etc.)

Acordar cedo

Este também foi bem difícil! Sempre valorizei muito o meu sono. Depois que me mudei para Ouro Preto para estudar em um curso noturno da UFOP, o prazer em "não ter hora para acordar" só cresceu.

Mas também depois de começar a trabalhar, e ter que fazer isso paralelamente aos estudos na universidade, dormir muito passou a ser uma utopia. Eu tinha o costume de dormir por volta de 1h, o que me fazia acordar às 9h, deixando meus horários de trabalho e estudo completamente bagunçados.

Então percebi que mudando essa minha janela de sono, meus dias ficariam muito mais organizados.

Nesse post existem 8 dicas para quem quer acordar mais cedo, e elas são realmente bem relevantes. Mas ele é mais conceitual, e de forma bem simples e resumida, ele explica a importância de ter um motivo para acordar cedo. Mas além desses hacks que ele traz, eu tenho uma 9ª dica para deixa-lo mais completo: deixe o despertador LONGE da cama, para que você tenha que se levantar para desliga-lo.

A partir do momento que comecei a fazer isso eu parei de desligar o despertador para voltar a dormir, e ao invés dos 3 ou 4 despertadores eu passei a usar apenas um.

Agora comecei a dormir mais cedo, entre 23h30 e 0h, e estou acordando por volta das 6h. Com essas mudanças na rotina do sono, dormir 2 horas a menos por noite me deu a impressão de que ganhei umas 4 horas por dia, só pelo fato de meus horários ficarem mais organizados.

Gatilho: levantar para desligar o computador
Small win: um dia acordando no horário determinado
Big win: um mês acordando no horário determinado
Recompensa mental: sensação de um dia mais longo e mais produtivo
Recompensa material: dormir um pouco mais em um final de semana


Próximos da lista

Escrever regularmente

Esse também é um dos meus objetivos com esse post, e também foi o principal motivo de criar o meu site, afinal:

Um conhecimento só é válido quando compartilhado.

A ideia é justamente compartilhar o que venho aprendendo. Se eu tive alguma dificuldade com alguma coisa, é bem possível que outras pessoas também tenham. Então passar o meu ponto de vista sobre um determinado assunto pode ajudar alguém que esteja passando pelo que já passei.

Voltar a tocar violão

Um dos grandes prazeres que eu tinha, e provavelmente o meu principal hobby, era tocar violão. Mas depois de uma maratona para fazer uma participação no CD e em um show do meu pai, acabei levando isso um pouco mais como obrigação do que como hobby. Além disso, eu também cansei de tocar, e desde então não me motivei a voltar.

Mas realmente quero voltar a praticar e calejar os dedos de novo! E com esse sistema que estou usando, sei que é só uma questão de tempo e organização.


Por fim, quero deixar uma recomendação de aplicativo para gerenciamento dos seus hábitos. Já testei o HabitBull, o Productive e o Coach.Me. Dentre eles, pelo quesito simplicidade (dica número 3), eu optei pelo Productive.

Vou deixar registrado aqui também o meu passo a passo para incorporar novos hábitos

  1. Listar o que eu quero começar a fazer

Espero ter ajudado com essas dicas. Lembrando que esse foi o método que funcionou PARA MIM.

Certamente essa não é a única forma de adotar novos hábitos, então se você tem mais alguma dica, comente aqui embaixo! Também estou aberto a críticas e sugestões! =D

12minutos

Coisas Fantásticas que Você Pode Aprender em Apenas 12'

Matheus Guerra Costa

Written by

Brazilian, marketer, tech enthusiast, continuous learner. @12minApp

12minutos

12minutos

Coisas Fantásticas que Você Pode Aprender em Apenas 12'