Programação para iniciantes: plataformas, ferramentas e dicas para começar

A verdade é que a internet tem todos os recursos para quem quer aprender linguagens de código. Desde que ela foi criada, programadores trocam ideias e criam tutoriais que facilitam o aprendizado desse ofício.

A programação é muito útil. Se você tem uma startup, por exemplo, pode querer criar você mesmo o MVP. Mas como as informações estão espalhadas por aí e às vezes é difícil organizá-las, vamos dar o caminho das primeiras pedras que você tem que vencer para começar. Vamos lá?

Como se preparar para aprender códigos

A primeira coisa que você precisa entender é que não vale a pena perder tempo pensando em qual linguagem aprender primeiro.

Cada uma tem seus prós e contras, não existe uma linguagem melhor. São características diferentes que te servem de formas diferentes.

O que importa é você aprender a organizar e entender os dados, estruturas e padrões de design para conseguir um bom produto.

Além disso, todas as linguagens têm elementos que se repetem. Isso faz com que o aprendizado seja muito mais fácil — você pega conceitos básicos que podem ser aplicados em mais de uma linguagem.

Aqui, vamos falar de desenvolvimento de websites e aplicativos mobile, mas você pode criar em diversas plataformas, como desktop Windows ou Mac, Add-ons para browsers, entre outros.

Desenvolvimento web

Ao invés de produzir aplicativos para plataformas específicas, você pode criar um website ou webapp, versão mais elaborada de websites, que pode contar com dados dinâmicos e inputs dos usuários, por exemplo.

É um ótimo jeito de começar a aprender códigos, porque são conceitos básicos que podem ser aplicados no desenvolvimentos de aplicativos para desktop, por exemplo.

Antes de iniciar o aprendizado do código em si, comece aprendendo HTML. Quem já tem contato com a internet no trabalho já deve ter entrado em contato com essa linguagem. Dominá-la é essencial para começar a produzir webapps.

Junto do HTML, você também precisa aprender o CSS, responsável pelas informações de estilo do seu produto. Ambas não são especificamente linguagens de programação, mas a criação de um website depende dessas linhas de construção.

Uma ótima forma de compreender os dois é fazendo as aulas da Code Academy.

Pronto, agora que você compreende bem HTML e CSS, é hora de aprender Javascript: a linguagem de programação dos browsers. Ele é a chave para fazer webapps, responsável por “fazer as coisas acontecerem”.

Procure videoaulas e tutoriais que expliquem os conceitos centrais do Java de forma detalhada, clara e tangível para quem é iniciante. Recomendamos o w3schools.

Agora que você pegou o jeito da coisa, vai precisar colocar na linguagem de código criada em um servidor, que possibilita que usuários interajam com a aplicação.

Para isso, você vai precisar de uma linha de código server-side. É ela quem envia para o script as informações sobre interação do usuário e executa as tarefas da forma como você programou.

Vários clientes permitem a criação do código server-side. PHP, Python, Perl, or Ruby — alguns ainda podem se comunicar com um banco de dados para que os usuários possam fazer uploads de arquivo ou tenham informações guardadas no webapp.

Durante anos, desenvolvedores precisaram resolver os mesmos problemas em todos os projetos. Muitos processos necessários para que o servidor funcionasse eram repetitivos e consumiam muito tempo.

Para resolver isso, programadores inventaram um sistema que já programa para você essa parte, as chamadas frameworks. Aqui está uma lista com as principais linguagens de server-side e suas respectivas frameworks.

Para aprender uma delas, existem muitos tutoriais disponíveis, inclusive na Code Academy, que citamos acima.

Desenvolvimento mobile

Antes de aprender a programar aplicativos para mobile, é bom que você já tenha passado pelos webapps. Já entender as linguagens do Java, HTML e CSS facilita bastante o processo.

Agora, para cada plataforma, você tem que ter um conhecimento específico. Para o iOS, utilize Objective C. Já para o Android, Java e XML. Para escolher entre elas, tudo depende do seu objetivo.

Desenvolver para a Apple Store pode trazer mais faturamento, já que os aplicativos pagos de lá costumam ter uma receita maior que os da Play Store. Entretanto, programadores iOS devem utilizar o Mac. Se você já adquiriu um, pode fazer o curso pela Code School.

Já quem pretende disponibilizar o aplicativo de forma gratuita (gerando receita por meio de ads, por exemplo), a melhor opção é o Android. Uma ótima opção de aprendizado é a Google University Consortium, que oferece cursos de desenvolvimento de aplicativos Android, web e diversas linguagens de programação.

Para lidar com outras características do processo de publicar um aplicativo na Play Store, acesse esta página. Com versão em português!

Dicas para quem vai começar

Agora que falamos sobre as melhores ferramentas para aprender, vamos te dar algumas dicas que só sabe quem já é veterano na programação.

Tentativa e erro

Como qualquer coisa totalmente nova, você precisa saber que vai tentar e errar várias vezes até ficar bom. Não fique frustrado, conte cada erro como aprendizado.

Foque em uma tarefa por vez

Para evitar o desespero, faça uma lista do que você quer aprender e ataque um item de cada vez. A mesma coisa quando for executar um projeto — divida tudo em pequenas ações para não se sentir sobrecarregado.

Aprenda a pesquisar no Google

O Google é parte do trabalho de um programador. É por ele que você aprende tudo, conversa com outras pessoas da área e cria novas soluções para problemas. Saber como procurar o que você precisa é uma das grandes chaves.

Não tenha vergonha de procurar ajuda e ajudar

Ninguém fica bom em programação sozinho. Procure ajuda sem medo e, quando puder, ajude também. Foi assim que as grandes plataformas de aprendizado de programação foram criadas.

Planeje antes de começar a codificar

Ao invés de deixar o que você pretende fazer só na sua cabeça, escreva um planejamento, nem que seja um rascunho, do seu código. Isso vai ajudar a não se perder no caminho e esquecer algum detalhe.

Tenha bons hábitos

Como você ainda é iniciante, policie-se para não criar maus hábitos. Alguns detalhes mais chatos, como a formatação do código, nem sempre são aprendidos desde o começo e pode prejudicar a qualidade do seu produto. Por isso, torne isso uma preocupação desde agora.

Leia muito sobre o assunto

Uma das melhores formas de ficar bom em alguma coisa é lendo. Selecionamos alguns livros que vão te ensinar algumas coisas sobre ser programador e vão te fazer pensar sobre inovação e tecnologia:

Confira todas essas publicações na plataforma do 12Minutos!

E, se você gostou do post de hoje, vale curtir, comentar e compartilhar nas redes sociais :)


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.