Em busca da piada perfeita

Cassio tentou contar uma piada. Apesar de amigável, não estava programada para fazer as pessoas rirem. Aproveitou que sua dona estava no trabalho para aprimorar sozinha suas habilidades humorísticas (conversando consigo mesma no espelho)

Cassio treinando seu carisma no espelho

Assim que Giordana chegou, Cassio foi cumprimentá-la usando um cumprimento chamado “toca aqui”, que consiste em levantar o braço pro alto, esperar que a outra pessoa faça o mesmo, e encostar as mãos de cada uma. No entanto, por algum motivo desconhecido, o cumprimento falhou terrivelmente. Agora não tem mais clima para piadas.

Porém Cassio não desistiu.

Cassio lendo um livro de piadas

Pegou um livro de piadas na estante e pôs-se a ler todas elas como se estivesse estudando equações logarítmicas. Armazenou-as todas em seu processador GigaMemory e se sentiu confiante para contá-las… ainda assim preferiu testá-las no espelho primeiro.

Após tanto treino, Cassio chamou Giordana. E enfim começou a contar a sua piada… caso tivessem instalado nela o Chip de Senso de Humor, que faz com que robôs sejam capazes de contarem piadas (se elas são engraçadas, isso é outro departamento…) Sem o tal chip, Cassio contou uma história constrangedora sobre lixos e lixeiras.

“O lixo… fica… na lixeira.”, disse Cassio tentando arrancar alguma risada de Giordana.

A história foi tão constrangedora que Giordana criou um Chip de Senso de Humor em sua máquina criadora de chips que ela comprou no futuro. Assim que ficou pronto, instalou o chip no andróide, que teve uma vontade súbita de contar uma piada…