Dia 14

Dia de me sentir livre e com muita saudade.

Livre para poder me sentir bem sozinho. De abraçar todas as dores e dissipa-las aos poucos. Assumindo erros, entendendo que as coisas, por mais duras que sejam, marcam um período de mudança e melhoria.

Saudade da pessoa que eu amei com mais força que eu imaginei. Por isso a necessidade de superar a dor. De aceitar minhas falhas, fraquezas e problemas. Que preciso ser melhor por mim e por essa lembrança boa.

Fiz de Chico Buarque meu companheiro do dia. Uma leve mistura de tristeza e alento no meu caminho.

E do fundo da minha alma eu sei que vou “… te querer / Até o amor cair / Doente / Doente…”

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.