O sorriso da dona Beatriz

Eu estava tomando banho quando desmaiei e me levaram para o hospital. Tive um derrame cerebral.

Eu fiquei sem falar e sem caminhar. Usei cadeira de rodas, depois voltei a dar os meus primeiros passos com a ajuda do andador.

Quando comecei a vir para o Ceir fiquei mais alegre. Iniciei pela arteterapia, pintando, bordando, fazendo um pouco de tudo.

Mas depois passei a sentir uns tremores. Descobri que sofro com a doença de Parkinson.

Agora aprendi a fazer crochê na arteterapia, que tem me ajudado no tratamento tanto do Parkinson quanto do AVC.

Aqui eu me divirto, me distraio e sou feliz!

Beatriz Almeida, 69 anos