#032 - Amor & cuba-libre, de Álvaro Cardoso Gomes

(Ou “Mais cuba do que libre”)

Até pouco anos atrás, havia um armário na sala da minha casa. Ele tinha como principal função esconder os antigos livros escolares das minhas irmãs e os discos de vinil, já sem utilidade na era dos cds. Minha diversão era revirar cada compartimento para descobrir alguma relíquia escondida. Até porque lá no meio, enfiado entre um livro de geografia e um disco das Paquitas, sempre conseguia encontrar alguma obra de ficção. Em um desses dia de garimpo, encontrei Amor & Cuba-libre.

As páginas amareladas pelo tempo não escondem a assinatura, Daniela Assis, e a data, 1991. Esse ano, aliás, deve ter sido o mais letrado da vida da minha irmã, afinal todos os livros da estante são dessa época ou de quando ela prestou o vestibular. Amor & Cuba-Libre com certeza foi leitura obrigatória da escola, tem o tom ideal para isso.

O cenário é o interior de São Paulo, na década de 1960. Sérgio acaba de mudar para a cidade de Americana e precisa se adaptar à nova escola. Tudo fica mais fácil quando faz amizade com Bagulhão, Quatrolho e Jamanta, aqueles típicos amigos para uma vida toda. Os quatro transitam pelos problemas típicos da adolescência, como namoros frustrados, paixonites, bailes, brigas com turmas rivais e inseguranças. Tudo regado a muita cuba-libre, “de preferência mais cuba do que libre”.

Pois bem, deu pra perceber que a premissa do livro é bem simples. Contada em primeira pessoa pelo Sérgio, vemos a adolescência passar diante dos nossos olhos. Ele namora a garota mais gostosa da cidade, mas ela é tão irritante que ele sempre tem vontade de terminar tudo. Só não faz por falta de coragem e por teimosia, já que Orelha também é a fim da menina e Sérgio não queria dar esse gostinho ao “rival”. Então ele conhece Cybelle, uma menina que não cai em sua lábia. Nem precisa dizer que ele acaba se apaixonando por ela e passa a viver um dilema com Teresa, sua então namorada.

No fundo, é um daqueles livros conseguem retratar de forma bem natural o valor das amizades. Os quatro amigos entram em uma briga juntos, resgatam um deles após um porre, ajudam o outro a conquistar a menina mais impossível da escola, ou simplesmente bebem no buteco antes de um baile. Não importa a situação, todos estão juntos. E como a história é contada do futuro (15 anos depois dos fatos narrados), é legal perceber duas coisas: 1) Algumas amizades são para a vida toda; 2) Alguns amigos eternos podem tomar outro rumo e sair do nosso convívio. Lições sinceras sobre amizade na vida real.

Sou uma pessoa que valoriza bastante o poder de uma boa amizade e histórias sobre isso sempre me pegam de jeito. Posso dizer, sem medo de estar errado, que estou cercado pelas melhores pessoas que eu poderia escolher. E tento fazer o meu melhor para mantê-las sempre por perto. Então quando vem uma história como a de Amor & cuba-libre, todo aquele gostinho da adolescência volta, quando as únicas preocupações eram a escola e como chegar na menina que estávamos a fim.

Além disso, esse livro tem outro gostinho especial para mim. Quando escrevi a critica em meu blog, o autor fez questão de comentar e divulgar para sua rede de contatos. O cara é um crítico literário e professor, autor de diversos outros livros. Ele teve o cuidado de ir até meu blog e comentar. Sem dúvida nenhuma, uma pessoa especial. Um livro especial.


Ao comprar Amor & cuba-libre por algum dos links abaixo, você me ajuda a manter o #365Livros e o canal no YouTube.

Amor & cuba-libre: Amazon | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino