#10 O Alienista

Autor: Machado de Assis
Páginas: 259
País de Origem: Brasil
Editora: Nostrum
Compre: Amazon

1. Por quê escolheu ler este livro?
É meu autor nacional favorito, então, não tinha como passar em branco sem lê-lo. Já passei por todas as suas obras mais famosas, só me faltava ler esse antes de partir para os contos.

2. O quê valeu a pena nesse livro?
A crítica social absurda a respeito de normalidade. Eu li esse livro em um momento em que o próprio Brasil estava (ainda está) passando por uma loucura generalizada, então, pude fazer comparativos bem interessantes sobre como nossos ideias de sanidade estão sendo alterados em função das nossas figuras de poder/referências.

3. Para quem indicaria esse livro?
Para quem ainda não conhece Machado, acho uma porta de entrada interessante. Para quem já se achou louco algum dia (vai perceber que sanidade é algo superestimado), para quem acha que não tem nada de bom na literatura nacional e para quem é um pouquinho interessado em política, certamente vai se divertir (ou chorar) com esse retrato tão próximo do nosso.

4. Qual é a dica de escrita que você tira desse livro?
Como é difícil construir uma ironia. É uma linha absurdamente tênue e eu fico imaginando que se já é difícil pro leitor entender onde ela começa e termina, imagina como é para o autor não enlouquecer nesse processo? É uma arte.

Simão Bacamarte é o protagonista. Médico conceituado em Portugal e na Espanha, decide enveredar-se pelo campo da psiquiatria e inicia um estudo sobre a loucura e seus graus, classificando-os. Instalou-se em Itaguaí, onde funda a Casa Verde, um hospício, e abastece-o de cobaias humanas para as suas pesquisas. Passa a internar todas as pessoas da cidade que ele julgue loucas; o vaidoso, o bajulador, a supersticiosa, a indecisa, sendo que na verdade eram apenas comportamentos, às vezes, estranhos.
Show your support

Clapping shows how much you appreciated Leca’s story.