Inserção.

É, falta isso. E amor no coração.

Querem que todos dêem as mãos.

Mas esquecem que um muro divide até a mais forte oração.

Só se vê pixação. Eles vêm e apagam o único grito de proclamação.

A sujeira que eles vêem é a que ta nos muros, não aquela utopia chamada corrupção.

Piada.

É só isso que a eles agrada.

Nossa história sempre foi mostrada. Resultado: risada.

Discurso de ódio e indiferença, disfarçado de brincadeira, forrado com sua crença.

Cabeças se abaixam, risada frenética.

A divina comédia.

Arte dos que se deleitam sobre a liberdade que não foi liberta.

Não, ela não foi liberta.

Ela ainda ta aqui no coração, sorrateira e discreta.

Todo dia a agulha espeta.

Dói, mas não assusta, pois como dizem, o direito é igual para todos.

Chamem como quiser, mas eu chamo de apenas estancar o sangue do nosso povo.