Era uma vez um vaso de flor. Todos os dias ele ficava na janela olhando pro jardim, imaginando como era bom poder se mover. Era chato apenas poder olhar e reclamar era tudo que fazia a respeito.

Um certo dia, quando duas minhocas passavam rastejando pela sombra, espreitou o diálogo delas sobre como era ruim rastejar e como seria mais fácil ter pernas pra andar.

Cotinuou ouvindo…até que uma criança de 6 anos viu uma das minhocas, pisou em cima e foi embora.

O vaso de flor pensou: “Ainda bem que não sou uma minhoca”

Moral? Não sei, contos são difíceis.