Histórias de Portugal contadas pelos pratos típicos, num restaurante de comida portuguesa perto de si.

Image for post
Image for post

Qualquer gastronomia tem por base a geografia e história de um povo. A gastronomia portuguesa não é exceção. Muito apreciada e considerada uma das mais variadas do mundo, fique a conhecer a origem do que lhe põem no prato de cada vez que visita um restaurante de comida portuguesa.

Temos uma das gastronomias mais ricas do mundo, marcada essencialmente pela presença do peixe, que de resto faz parte da chamada Dieta Mediterrânica — cuja base assenta na trilogia do pão, vinho e azeite. Porém, a carne está também presente à medida que se avança para o interior do território, naturalmente pela escassez do peixe, dando origem a várias iguarias inspiradas essencialmente no porco e vaca, não esquecendo as mais variadas sopas.

Vamos provar alguns pratos e ficar a conhecer muitas curiosidades históricas.

Image for post
Image for post
Fonte: Pinterest

AMÊIJOAS À BULHÃO PATO
Este prato é uma homenagem a um poeta romântico do século XIX, autêntico gourmet e com dotes para a Cozinha, de seu nome António Raimundo Bulhão Pato, que criou receitas como a Lebre à Bulhão Pato e Perdizes à Castelhana. Porém as famosas amêijoas à Bulhão Pato foram inventadas por um cozinheiro do restaurante Estrela D’Ouro, na Rua da Prata, em Lisboa. Como forma de agradecimento pelos elogios constantes que António Bulhão Pato fazia às suas criações, o cozinheiro batizou o prato com o nome do seu cliente.

FRANCESINHA
Este é um símbolo gastronómico do Porto e nasceu em 1950 pela mão de Daniel David Silva, cozinheiro no restaurante “A Regaleira”. Regressado a Portugal depois de emigrado em França, pegou na clássica Croque-Monsieur, uma das sanduíches francesas mais típicas e adaptou-a às preferências cá da terra, recheando-a com carnes e enchidos e juntando-lhe um molho muito apreciado que consiste no verdadeiro segredo da receita.
Nem todos os restaurantes de comida portuguesa têm esta iguaria disponível, porém o Porto é sem dúvida o melhor local para a provar.

Image for post
Image for post
Fonte: Freepick

POLVO À LAGAREIRO
Do mar salgado para um mar de azeite, o polvo quer-se tenro e bem regado. Lagareiro vem de lagar, precisamente devido à enorme quantidade de azeite da receita. Diz a lenda que o Polvo à Lagareiro nasceu nas Beiras, onde era hábito prepará-lo nos fornos dos lagares acreditando-se possa ser uma variação do Bacalhau à Lagareiro.
Pode saborear um delicioso Polvo à Lagareiro com Batata Doce e Grelos no restaurante de comida portuguesa 31 d’Armada.

ARROZ DE PATO
O Arroz de Pato tem a sua origem na cidade de Braga. Diz-se que surgiu na culinária popular com a necessidade de aproveitar os restos do cozido do dia anterior — pelo menos os ingredientes parecem fazer prova disso.
Há no entanto pratos semelhantes noutras partes do mundo — norte de Espanha ou Peru, onde é conhecido por “ñuñuma”, sendo que aí é confecionado com cerveja.
Conta a lenda que foram as mulheres da vizinha Espanha que criaram a receita original para que pudessem encantar os seus pretendidos com mais facilidade. O segredo estava no coração do pato, escondido no arroz. Uma vez comido provocaria nos homens a paixão pelas suas mulheres.
Este é também um prato típico presente em muitos restaurantes de comida portuguesa.

ALCOMONIAS
Para terminar um doce invulgar, mas não menos tradicional. É frequente a doçaria portuguesa estar enraizada na gastronomia conventual, onde podemos sentir as influências das várias especiarias oriundas do Brasil e da índia, como o açúcar e a canela, por exemplo. Dos papos de anjo às maminhas de freira, não esquecendo os pitos de Santa Luzia, há toda uma coleção de segredos muito bem guardados ao longo das várias gerações de clero. Mas o mesmo não aconteceu com a história das Alcomonias. Um doce típico do Alentejo Litoral, com a sua origem no período de ocupação muçulmana. A sua forma em losango, os ingredientes usados (pinhões, mel, farinha…) e, principalmente, o seu nome de origem árabe que significa “da cor do cominho” são mais do que prova das influências mouriscas no território nacional.

Veja aqui a receita para experimentar fazer em casa.

Esperamos ter-lhe despertado o apetite para ir à descoberta do nosso extenso património no restaurante de comida portuguesa mais perto de si.

* * * * * A equipa do 31

Nós somos a equipa do restaurante 31 d’Armada e de duas em duas semanas convidamo-lo para a nossa mesa, onde partilhamos as novidades na vida de uma cidade e de um país que não param de lançar charme.
Bem-vindo a Lisboa. Bem-vindo a Portugal.

Aqui come-se, bebe-se e partilha-se o melhor de Lisboa e Portugal. Porque é à mesa que tudo acontece. Nós somos a equipa do restaurante 31 d'Armada. Bem-vindos!

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store