George Best, o primeiro popstar da história do futebol.

O “Revivendo o Passado” de hoje relembra um jogador histórico, o polêmico, controverso, popstar e craque, George Best. Nascido em Belfast, Irlanda do Norte, no ano de 1946, George demonstrava amor pelo futebol desde criança. Aos 15 anos foi treinar no Manchester United, descoberto por um olheiro que o viu jogar em um clube amador de sua cidade.

Aos 17 anos, no ano de 1963, Best estreia no time principal do United, que vinha se reformulando após um desastre aéreo que havia matado a maioria do time. O estilo de jogo rápido e driblador logo ganhou o apreço da torcida de Manchester, levando a serem feitas comparações com Garrincha, devido ao estilo de jogo semelhante.

George Best com 17 anos, começando sua carreira pelo United. Fonte: http://devuelvanlapelota.blogspot.com.br/2012/05/el-mejor-george.html

Juntamente com Bobby Charlton e Dennis Law, George Best formou um dos melhores trios da história do futebol mundial, conquistando uma Copa da Inglaterra, dois Campeonatos Ingleses, duas Supercopas da Inglaterra e o mais importante da história do clube até então, o título da Taça dos Campeões Europeus (atual UEFA Champions League), na temporada 1967/1968, com Best sendo protagonista.

Dennis Law, George Best e Bobby Charlton, melhor trio da história do United. Fonte: Getty Images Sport

Nessa competição o United derrotou equipes gigantes do futebol europeu, vencendo o Real Madrid na semifinal e o Benfica na final, com um gol de Best na prorrogação, sendo o gol que desempatou o jogo, encaminhando o título dos Red Devils.

George ganhou alguns apelidos pela imprensa durante sua carreira, como “O Quinto Beatle” e “O Elvis do Futebol”, devido a sua beleza física, seu sucesso fora de campo com a mídia e pelo seu jeito festeiro, que acabou desencadeado o alcoolismo na sua vida. Esse seu estilo de vida acabou acarretando muitas críticas da imprensa e dos torcedores, pois Best acabava perdendo treinos, sumindo por longos períodos de tempo, sendo afastado algumas vezes pelo treinador do United, Matt Busby.

Best foi o primeiro popstar da história do futebol. Fonte: Getty Images

Best era de fato um popstar, atraindo atenção da imprensa por onde passasse, sofrendo perseguição dos paparazzi e tablóides ingleses, sendo um fato novo até então, pois os jogadores jamais haviam chegado a esse nível de popularidade. Isso acabou sendo um marco para o futebol atual, que forma constantemente jogadores popstar, como David Beckham e Cristiano Ronaldo, sucessos midiáticos e de publicidade.

Mesmo com esse estilo de vida nada convencional para um atleta, George vinha dando conta do recado com sua genialidade, chegando a vencer a Bola de Ouro, prêmio entregado ao melhor jogador do futebol europeu na temporada de 1968.

George Best sendo premiado como melhor jogador europeu da temporada, em 1968. Fonte: https://www.imortaisdofutebol.com/2013/03/14/craque-imortal-george-best/

Porém o alcoolismo e a falta de foco levaram à decadência de George Best, que chegou a anunciar sua aposentadoria no ano de 1973, aos 27 anos, após diversas confusões com o clube, pois ele não conseguia mais entrar na forma desejada, além de faltar constantemente treinos e sumir por longos períodos. Pelo Manchester United foram 11 anos a serviço do clube, jogando 470 jogos e marcando 179 gols, sendo ídolo máximo da história do clube, ganhando estátua nos arredores de Old Trafford, junto com Bobby Charlton e Dennis Law.

Estátua de Best, Law e Charlton. Fonte: http://www.taringa.net/comunidades/reddevils/827265/Sir-Bobby-Chalrton-Denis-Law-George-Best-Estatua---fotos.html

Após esse episódio ele volta atrás, jogando por equipes muito pequenas nos anos seguintes, como o Jewish Guild, da África do Sul, Dunstable Town e Stockport County, da Inglaterra. Depois foi para o Los Angeles Aztecs, dos Estados Unidos, buscando escapar da mídia inglesa, que perseguia todos os seus passos. Ele volta a jogar na Inglaterra, pela Fulham, porém apenas por uma temporada, voltando logo em seguida para o Aztecs, onde se sentia bem.

George Best pelo Los Angeles Aztecs. Fonte: http://www.marca.com/futbol/estados-unidos/album/2017/03/30/58dd36b6268e3eed568b48b0_11.html

Se transferiu pouco tempo depois para o Fort Lauderdale Strikes, onde jogou com Teófilo Cubillas e Gerd Muller. Ele acabou sendo preso por 8 semanas, por dirigir embreagado, enquanto jogador dos Strikers.

George Best, Gerd Muller e Teófilo Cubillas, pelo Strikers. Fonte: http://duly.x10host.com/strikers/strikers_images.html

George seguiu rodando por vários clubes no final da sua carreira, chegando a jogar por 17 times até finalmente se aposentar, aos 38 anos, no ano de 1984. Um final decadente para o que ele prometia no início de sua carreira.

Pela seleção norte-irlandesa, Best jogou apenas 37 jogos e marcou 9 gols, jamais chegando a jogar uma Copa do Mundo, algo frustante para um grande craque, devido a fraqueza de sua seleção, que não conseguiu se classificar para os mundiais enquanto Best ainda jogava competitivamente.

George Best jogando pela Irlanda do Norte. Fonte: http://guiadoscuriosos.uol.com.br/blog/2012/02/14/dinheiro-irlandes-homenageia-craque-de-futebol

Após a aposentadoria, George colecionou vexames relacionados ao álcool, sendo constantemente flagrado alcoolizado em eventos. Em 2002 teve que fazer um transplante de fígado, destruído pela cirrose. Porém após o transplante ele continuou bebendo. Em 2005 George Best viria a falecer, devido a complicações renais, com apenas 59 anos. Como seu último gesto em vida, deixou com que a imprensa fotografasse seu estado, com a mensagem “Não morra como eu”, buscando conscientizar as pessoas sobre os problemas causados pelo alcoolismo.

Última foto de George Best. Fonte; News Group Newspapers Ltd

Best era bastante polêmico, e disse frases marcantes e no mínimo curiosas, como:

“Em 1969, eu abandonei as mulheres e o álcool. Foram os 20 piores minutos da minha vida”

“Gastei muito dinheiro com bebidas, mulheres e carros. O resto eu desperdicei”

“Dizem que tentei dormir com sete Misses Mundo. Não é verdade. Foram apenas quatro. As outras três é que vieram atrás de mim.”

A carreira e vida de George Best nos leva a refletir sobre os efeitos da depressão na vida de uma pessoa que possui tudo na vida muito cedo, algo que levou ao alcoolismo e a degradação da vida do atleta, que se via dependente do álcool para conseguir viver. O próprio George disse, aos 22 anos, que não tinha mais nada para cobiçar na vida, que bebia para esquecer de todos os problemas e perseguições. A falta de apoio dos clubes onde jogou também foi fator determinante para a decadência do jogador, pois segundo Best, os clubes o viam apenas como um empregado e não como um ser-humano, que sequer uma pessoa dos clubes onde jogou tentou ajudá-lo na sua recuperação como pessoa, havendo preocupação exclusiva com o rendimento em campo.

George Best, lenda do Manchester United e do futebol. Fonte: http://www.irishmirror.ie/news/irish-news/hotel-group-pay-george-best-8147913

Apesar das polêmicas e escândalos, George Best será sempre lembrado pelo grande futebol apresentado nos anos 60, onde encantou o mundo com seus dribles e jogadas geniais, que o credenciaram para ser um dos melhores jogadores de todos os tempos, mesmo com sua carreira não tendo tanta continuidade. George Best sempre será uma lenda do futebol.

Texto: Gabriel Lopes