Tudo igual para os brasileiros na Libertadores

Nessa quarta (13/09), Santos, Grêmio e Botafogo entraram em campo pela Libertadores, representando o Brasil na competição.

O Santos empatou com o Barcelona, no Equador, pelo placar de 1 a 1. Apesar de não chegar tanto ao ataque e não ter muita posse de bola, o Santos abriu o placar logo no início do segundo tempo, com gol de Bruno Henrique, consagrando a grande fase do atacante santista.

O Barcelona pressionava a equipe brasileira, que era salva por Vanderlei, com ótimas defesas. Mas aos 34 minutos do segundo tempo, Álvez, de cabeça, deixa tudo igual em Guayaquil. A pressão pelo segundo gol do Barcelona foi grande, chegando à 18 finalizações durante o jogo, o dobro do Santos, que finalizou 9. Mas o “Peixe” conseguiu segurar o empate fora de casa.

Mais uma vez o Santos conseguiu um bom resultado graças aos seus pilares, Vanderlei e Bruno Henrique, apesar do sufoco. Tal sufoco não deveria acontecer, pois o time possui uma equipe muito mais qualificada que seu adversário, o que mostra o tamanho da desorganização defensiva da equipe, algo que é defeito recorrente das equipes treinadas por Levir Culpi, que não dá a devida atenção ao sistema defensivo, que quase todo jogo é salvo por atuações maravilhosas de Vanderlei.

Apesar de tudo, o empate com gols foi favorável ao Santos, que se classifica com um empate sem gols no jogo de volta.

Já o confronto entre Botafogo e Grêmio, no Estádio Nilton Santos, acabou empatado em 0 a 0, deixando o confronto muito aberto para o jogo de volta, em Porto Alegre.

O jogo foi prejudicado pela grande quantidade de desfalques das equipes, especialmente do lado do Grêmio, que não contou com Luan e Geromel, por exemplo. O Botafogo foi a campo sem Victor Luís, suspenso.

A postura das equipes em campo foi de acordo com aquilo apresentado durante a temporada. O Grêmio propondo o jogo e buscando manter a posse da bola, enquanto o Botafogo jogava atrás e buscava o contra-ataque. O Grêmio finalizou bem mais, porém foi parado por Gatito e pela ineficiência dos seus atacantes. Já o Botafogo não conseguiu emplacar bons contra-golpes, e não conseguiu chutar uma bola na direção do gol durante todo o jogo.

O Grêmio vai para o jogo de volta com um pequeno favoristismo, pois deve contar com o retorno de importantes jogadores, além de ter jogado bem melhor contra o Botafogo, mesmo sendo fora de seus domínios. Porém não podemos descartar o Botafogo na Libertadores, pois o “Fogão” já mostrou que pode surpreender a todos, mesmo quando se espera o pior do alvinegro carioca.

Os jogos de volta acontecerão no próximo meio de semana, e irão definir os classificados para as semifinais da Libertadores.

Texto: Gabriel Lopes