Cartas de suicídio sempre são lidas tarde demais. Você não viu o sorriso dela desaparecendo? O texto tava lá, naquele rosto frio e pálido. Uma página inteira de expressões que gritavam "me ajude". Mas você não interpretou direito, talvez tenha achado que era frescura. Talvez não tenha achado nada. Diferente dela que achou a "solução". Talvez você tenha achado que passaria, que era apenas uma semana ruim, mas a tempestade veio e ainda não passou. Naquela calçada sempre chove, sempre irá chover.

Frases clichés não serviram de nada, livros de autoajuda não ajudaram. Um abraço mais apertado mudaria o rumo dessa história? Talvez. Mais um "talvez'' que se muda pra sua mente, que te arranha e te impede de dormir.

Por medo de chorar muitos escolheram outro tipo de queda. Julgamento seguido de prisão perpétua. De quem é a culpa?

Agora quem chora é você. Suas lágrimas caem sobre o papel, borrando a última frase da última carta: "Não se esqueça de mim”.

J Dierlein