O que faz da Starbucks a maior carteira digital dos Estados Unidos

Nem Apple, Google ou Samsung. A maior carteira digital dos Estados Unidos não é só uma carteira digital. Trata-se de uma plataforma de serviços, desenvolvida pela maior rede de cafeterias do mundo: a Starbucks.

Foco, valor agregado e conveniência são as grandes razões que fazem da Starbucks a líder em pagamentos móveis nos Estados Unidos. De acordo com dados da eMarketer, a multinacional deverá manter sua liderança em pagamento móvel até 2022. Em 2018, 23,4 milhões de pessoas com 14 anos ou mais usarão o aplicativo para fazer uma compra no próprio ponto de venda. A Apple Pay está próxima, com 22 milhões de pessoas.

A Starbucks é a maior carteira digital dos Estados Unidos. Fonte da imagem: Pexels

O segredo do sucesso não é segredo para ninguém (ou não deveria)

Entregar conveniência e vantagens para o cliente, combinando pagamentos e o programa de fidelidade e recompensas é a chave do sucesso da Starbucks. A empresa colocou seu consumidor no centro do projeto, eliminou intermediários de pagamento e criou uma solução phygital, já que a aplicação é uma extensão da experiência física. Somado a isso, o aplicativo oferece um retorno claro para os clientes: pontos de fidelidade, cupons de descontos e outras vantagens, como realizar pedidos via celular. Além disso, os usuários economizam outro recurso precioso: seu tempo.

Tudo o que foi dito contrasta com os sistemas de pagamento da Apple, do Google e da Samsung: os aplicativos não deixam claro o modo como o cliente se beneficia ao utilizá-los.

Outra inspiração que a iniciativa pode nos trazer trata da propriedade sobre audiência: o aplicativo Starbucks colhe dados e insights sobre o comportamento do consumidor e transforma cada interação em dados. Essa percepção permite otimizar sua comunicação com o cliente e fornecer a oferta certa para a pessoa certa no momento certo. De novo: a marca entendeu que é preciso colocar a experiência do cliente no centro da jornada de compra, do início ao fim, para que ele siga fiel e engajado — um dos pilares da transformação digital na prática.

Telas do app brasileiro da Starbucks. Fonte: Play Store

Ok. Mas o que afinal é uma carteira digital?

Nosso jeito de usar o dinheiro ou comercializar produtos e serviços vive mudando. Desde o escambo até o cartão de crédito alguns séculos se passaram e nunca estivemos tão conectados. Naturalmente, os pagamentos digitais estão ganhando cada vez mais espaço. Basta um dispositivo com conexão à internet para que seja possível realizar transações financeiras de maneira rápida e segura. Dentro desse contexto, surgiram as digital wallets.

Digital wallets, ou carteiras digitais são locais onde você guarda dinheiro e cartões num ambiente virtual — um conceito bem semelhante às carteiras físicas. Alguns países já estudam a possibilidade de inserir, também, documentos pessoais, como carteiras de motorista ou identidade.

Todos esses meios de pagamento, de alguma forma, mudaram a maneira como as pessoas consomem. Estamos bem próximos de uma realidade em que será possível sair de casa apenas com o celular e conseguir atender a todas as nossas necessidades de consumo com uma melhor experiência. As empresas têm buscado soluções para o chamado frictionless payment (pagamento sem atrito), um método de usar dados de dispositivos, aplicativos e sites para integrar oportunidades de compra da maneira mais simples possível às atividades diárias e aos ambientes naturais dos consumidores.

O mercado asiático como um todo está muito avançado nesse modelo de frictionless payments. Nos Estados Unidos, a adoção a esse tipo de pagamento também está crescendo exponencialmente. Neste vídeo (em inglês) é possível visualizar um pouco do comportamento de compra na China.

E no Brasil?

Muitos novos apps de pagamento estão entrando no nosso mercado, especialmente a partir de varejistas, com aplicativos próprios. O mais recente foi o Magazine Luiza, que lançou o Magalu Pagamentos. O produto será criado inicialmente como antecipação de recebíveis dos lojistas do marketplace, com cobrança pelo serviço. Além dela, a B2W e a Via Varejo também lançaram soluções parecidas.

Para especialistas, a penetração dos mais de 50 milhões de brasileiros desbancarizados neste mercado tende a ser um prato cheio para empresas como o Magalu e seus competidores, que já estão na rotina de camadas menos abastadas da população. Além disso, mais da metade dos usuários brasileiros de WhatsApp (53%) gostaria de usar o aplicativo para realizar pagamentos e transferências bancárias, segundo a nova pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box. O número representa aproximadamente 50 milhões de pessoas.

Em resumo: para as empresas, o mais importante sobre os pagamentos digitais é a propriedade sobre a audiência e, para os clientes, a conveniência e a experiência. Transformação digital é um ganha-ganha.

Que tal fazer da sua empresa a maior carteira digital do Brasil? Conte com a 4all ;)

Para ler mais: