Sufoco

Hoje, na metade da manhã eu decidi que não iria mais me sentir sufocada, não me sentiria mais morta. Que eu acordaria para a MINHA vida.

Eu vou fazer da minha vida a porra que eu quiser, porque ela é MINHA, são MINHAS escolhas, e quem tem que viver 24/7 do tempo comigo não é ninguém não. Sou eu mesma.

Tem uns dias que a música grita meu nome, ela grita por todos os meus poros, grita pelos fios dos meus cabelos, até que eu exploda e finalmente, decida ouvir. Porque ouvir é diferente de escutar, ouvir é assimilar, é guardar dentro do coração…vai dar certo, e se não der dessa vez a gente vai tentando até dar.

E DAÍ que pode dar uma merda catastrófica? eu já cumpri a minha obrigação como um “membro da sociedade” fazendo tudo o que tinha que ser feito…agora eu vou viver. Sorry família, mas vou alí tomar as minhas próprias decisões a partir de agora.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.