Carta pra quem José?

Eu vou te dar bom dia sendo ainda madrugada. Sim, eu vou. Porque não preciso de hora marcada pra tentar arrancar teu sorriso, pra tentar ver um brilho nos teus olhos. Eu vou dizer te amo quando você estiver dormindo. Sim, eu vou. Pra saber da tua surpresa quando acordar e ver tudo isso escrito, pra ver a beleza da tua timidez, por saber que tudo é de verdade.

Eu sempre vou ser inusitado, inesperado e sincero em cada gesto, palavra ou pensamento. Esse não é um texto genérico, figurinha repetida de declaração que já foi feita, não. São só meus pensamentos mais transparentes, eu amo cada coisa em você, e sem sentido ou sem senso de poesia, que não é de meu feitio, eu digo isso abertamente.

Eu vou te chamar pra sair quando sei que você não pode, gosto de tentar a sorte, gosto de te fazer sentir que a sua companhia me faz bem. Eu vou te oferecer elogios exagerados, mas sempre com fundos de verdade.

Sabe, já reescrevi as frases desse texto algumas vezes, com medo de falar besteira, e sim isso era só um detalhe que não precisava ser dito e sei que isso arrancou um sorriso seu de canto de boca. Eu oro a Deus por sua vida garota, e as vezes esqueço da minha, mas sei que a sua me faz melhor.

Eu vou fazer minhas dores e angústias serem piadas se você precisar de alguém que lhe faça querer sorrir.

Sou meio bobo, sim eu sei. Mas vou ser assim pra sempre, sempre que isso te fizer bem. Eu não queria fazer um texto, agora desse tamanho você vai poder interpretar, que chato, vai parecer planejado, e nada do coração tirado. Mas espera, não sou um artista agora, sou apenas eu, puro e sem faces, só com um semblante surpreso com o tanto que já escrevi tentando te impressionar.

Eu vou externar sentimentos, belos, feios, sinceros. Sim eu vou. Vou te dar bom dia quando sei que não vai responder e quando a resposta vier será um boa noite. Estou as duas da madrugada escrevendo um monte pra dizer que me importo. Perdi o foco faz tempo, só queria escrever pra você, e para de rir e de me chamar de idiota mentalmente.

Sou feliz por ter você, de alguma forma. Garota eu te amo, e isso é o único aspecto que faz sentido nesse texto, sendo esse na verdade planejado pra que eu pudesse mandar pra várias pessoas como uma ficção muito louca, mais uma das minhas viagens um história com dois personagens, algo feito pra disfarçar o tom literal de todas as palavras anteriores. Deixa em segredo, vamos fingir que essa é uma carta escrita por José. Me conhece bem, e sabe pra quem é, você.

Já disse o que tinha de ser dito, boa noite pra você ou bom dia quando ver, vou começar o fim do texto, pra parecer uma historinha. Tchau.

E escreveu José feliz, e tristonho pela despedida, deixou seu recado e pôde descansar. Na sua insanidade, fez questão de com os olhos ainda abertos escrever uma última carta para Aninha.