Eu falhei, e agora?

A aceitação do erro como parte do processo de desenvolvimento


Muitas vezes a falha é inevitável e pode aparecer em diferentes etapas de um projeto — do esboço à execução. A boa notícia é que, com o passar do tempo, ela tem deixado de ser um tabu para se tornar mais um meio de aprendizado e crescimento profissional.

Motivadas pela ideia de falhar rápido para chegar logo ao sucesso, startups de tecnologia têm incorporado o “fail fast” em seus processos, fazendo da falha mais uma etapa do projeto. Essa cultura é muito difundida nos Estados Unidos, sobretudo no Vale do Silício e está presente nas metodologias que usamos diariamente como Agile, Design Thinking e Test-driven Development (TDD).

A ideia aplicada nessas metodologias é a de não tentar mais evitar os erros, mas estimular mindsets que têm a função de detectá-los mais rapidamente e remediá-los de forma que o impacto para o projeto seja o menor possível.

O “fail fast” faz parte do cotidiano de algumas empresas famosas, como a IDEO, consultora em Design Thinking, que valorizam, inclusive, a chamada “aceitação da falha”. Para essas empresas, não existe um culpado: as falhas são do projeto e não das pessoas. Essa premissa permite pensar novos trabalhos com base no aprendizado acumulado de falhas passadas.

Essa ideia tem se expandido tanto que já existe até uma conferência sobre o tema. É a FailCon, um evento organizado para que as pessoas aprendam com os erros dos outros. A conferência teve início nos Estados Unidos, em 2009, e chegou ao Brasil no ano passado, em 2013.

Durante a FailCon, empreendedores, investidores, desenvolvedores e designers compartilham histórias e atitudes que falharam ou não trouxeram resultado, analisam os erros e apresentam as soluções encontradas para resolvê-las.

Errar é mais normal do que parece, não é? Então, não veja mais as falhas como algo ruim. Aprenda a tirar proveito delas e transformá-las em informações úteis para seus projetos. Ao se deparar com um erro, tente entender o que aconteceu, receba feedbacks, faça testes, crie protótipos e aumente a sua chance de sucesso!