Tradução — Acham sua arte ruim.

“Parece que não se pode escrever um artigo sobre artistas sem reiterar que eles são seus piores críticos. Então vamos tirar logo isso do caminho. Nós somos terríveis em avaliar nosso próprio trabalho. Pior ainda, artistas como um grupo tendem a ter gostos muito diferentes do popular. Manter as opiniões sobre seu trabalho dentro da bolha da opinião profissional pode ser perigoso. Mesmo assim, tentar alcançar a grandeza como um criador de imagens ainda é algo digno a se dedicar. Seu poder como artesão pode ser essencial para o seu sucesso. Entretanto, ser bem-sucedido como um artista envolve mais do que fazer quadros desenhados. Na verdade, é mais provável que os negócios em torno da arte signifiquem mais do que o trabalho artístico em si. Muitos dos artistas mais talentosos no mundo vão muito mal enquanto pessoas cujo trabalho você detesta estão indo bem. Isso é porque nosso julgamento individual sobre o trabalho de um artista é basicamente irrelevante no mercado de trabalho.

Há uma boa chance de você que está lendo esse artigo ser um artista que não se acha “bom” o suficiente (seja lá o que isso signifique). Na verdade, há pessoas lá fora que concordariam com você. Eles podem dizer coisas passivo-agressivas como “você ainda não chegou lá” ou descrever seu trabalho com “não está no nível do fulano”. Foda-se. Você pode não ter um trabalho que encaixe nas necessidades ou no gosto de um diretor de arte/formador de tendências específico, mas isso não significa que seu trabalho seja “ruim”. E, sim, as pessoas vão chamar seu trabalho de “ruim”. Eu posso dizer com confiança, porque ninguém nunca escapou de ser chamado de “ruim” por ninguém, em nenhum lugar, em nenhuma época. Se você nunca foi chamado de “ruim” antes, então você está em sérios problemas, porque ninguém está olhando para o seu trabalho. Não há arte que seja tão imaculada que ninguém vá atacar, isso é simplesmente uma verdade dolorosa sobre ser artista.

Como artistas, nós desejamos nos expressar, mas isso é, no fim das contas, um processo embaraçoso. Dizer algo tão honesto e sincero em público revela o máximo de medo e embaraço que uma pessoa pode ter. Fazer boa arte é como dar um discurso em público que nunca termina, pois nunca vai embora. Nós enrolamos nossos sentimentos em barreiras superficiais que protegem nossos eus mais íntimos desse embaraço. É aqui que eu acho que os artistas tendem a subverter seu próprio trabalho. É mais fácil aspirar a ser como um artista famoso que todos amam do que ser você mesmo. É uma armadilha tão fácil de se cair e eu vejo acontecer o tempo todo.

Existem tantos critérios para basear nosso trabalho. Então, vamos rejeitar a ideia de nos classificar como “bons” e “ruins”. Mesmo se você é ruim em arte, não significa que você não mereça qualquer sucesso que virá a alcançar. Se você pode gerar a demanda do consumidor para o seu trabalho, diretores de arte podem rejeitar você o dia todo sem consequência. Donos de galeria, colecionadores e outras figuras importantes constituem uma pequena fração do mundo de compradores de arte. Estar em boas graças é bom e às vezes lucrativo, mas raramente necessário. Se você pudesse superar o que pensam do seu trabalho, você poderia fazer qualquer coisa. Na verdade, você PODE fazer qualquer coisa. Qualquer tipo de pensamento que te leve a acreditar no contrário, é apenas o sussurrar quieto, porém familiar, de seu próprio medo.

Confie no que seu medo te diz. Ele sempre levará você na direção oposta a que deveria seguir.”

Texto original: http://www.vandalhigh.com/blog/2015/10/17/people-think-your-art-is-bad

Like what you read? Give Pedro Gomes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.