Como ter um e-commerce?

Veja dicas para quem quer começar um negócio de vendas online, ou apenas se interessa pelo assunto

As lojas virtuais já tomaram conta do nosso cotidiano. Todo mundo hoje em dia usa elas para comprar calçados, roupas, eletrônicos, perfumes, peças de carro, capas de celular… E o número de variedades de produtos é incrível e surpreendente. Você nunca pensou, por exemplo, que fosse possível comprar semente de planta na internet, não é mesmo? Pois é, existe, e-commerces de sementes na internet (Cara, que bacana!).

Para os e-commerces os números são bem promissores. Em 2014 eles cresceram mais do que as lojas físicas, 24% e 4,5%, respectivamente. E no mesmo ano as vendas no natal superaram 5,9 bilhões de reais.

Mas vamos ao que interessa: Como criar um e-commerce na internet? Existem várias respostas para essa pergunta, e hoje eu vou falar das duas formas mais comuns e de uma terceira forma (surpresa!).

O Magento é a ferramente de e-commerce mais popular da internet.

A plataforma de e-commerce mais popular, hoje em dia, chama-se Magento. É basicamente um gestor de conteúdo, que vai rodar em um servidor (na nuvem). O ponto forte do Magento é que ele é focado inteiramente em e-commerces e também já está no mercado a algum tempo. Como ele é um software de código aberto, acaba crescendo muito e tornando-se mais robusto e seguro. O Magento é personalizável e existe muita loja grande e conhecida usando a plataforma.

O Wordpress é a segunda ferramenta para e-commerce mais popular da internet.

A segunda plataforma de e-commerce mais popular hoje em dia é o Wordpress (sim, o do blog). O segredo está nos plugins que o Wordpress.org (plataforma de código aberto) permite que o usuário instale. Alguns deles transformam aquele velho gestor de conteúdo para portais e blogs em um e-commerce maleável. O mais popular deles é o WooCommerce. Esse plugin possui trocentos add-ons, que o tornam mais completo ainda.

O ponto fraco das duas plataformas é que se você não é um programador, acaba que usando temas já prontos e perde a força que sua marca teria se possuísse um site que atende exatamente as suas necessidades e com uma identidade visual bem posicionada. Caso queira ter um site próprio e personalizado, você vai ter que procurar um desenvolvedor e gastar um valor bem salgado para quem está começando.

Agora a surpresa: Para quem já vende algum produto (no Instagram, por exemplo) e quer distribuir para todo o Brasil, usando uma plataforma profissional, agora irá poder! Não vou contar muitos detalhes por aqui, quem quiser saber mais tem que acessar siara.com.br/ecommerce e ver todos os detalhes (é super, super rápido).

Espero que tenham gostado. Até a próxima ;D