Leve.

Eu tenho me ocupado muito. Ontem recebi uma mensagem “vamos fazer alguma coisa? To enrolada, marcamos semana que vem." E eu to mesmo.

Sabe aquela semana que você se ocupa tanto, que quando chega na metade já está arrependida de tantos compromissos sociais e só quer descansar?

Estou nadando quase todo dia, trabalho, vou para aula, vou jantar com alguém, tem jogo do São Paulo, tem outro amigo para ver, tem show, tem aniversário… cansei.

No meio disso tudo resolvi que essa semana ia dar um jeito de jantar com uma amiga que não via há uns 6 meses. Eu estava enrolando, ainda não estava preparada para conversar sobre tudo o que aconteceu na minha vida nos últimos meses.

Hoje foi um dia cheio no trabalho, meu corpo está dolorido da natação, fui levar meu celular assistência técnica, mas o trânsito me fez chegar atrasada, estava em Moema e tinha que tentar chegar no Morumbi. Resumo: quero explodir o planeta. Contudo, mantive minha ideia e fui jantar com a minha amiga.

Costumo sempre dizer por aí que meus amigos primeiro sim. É bom olhar para uns detalhes na vida da gente e ter certeza que fez as escolhas certas.

Pela primeira vez nos últimos meses eu falei, sem medo, sem me importar com julgamentos, sem medo de chorar, chorei, inclusive. Falei e não me machucou. Universo, que alívio. Como é bom ter o coração tranquilo, a mente vazia. Tinha esquecido disso.

No fim do papo: Ale, você tá bem? Tô, dentro do possível, tô bem. Mesmo. E de todo coração, meio perdido e aprendendo umas coisinhas, é verdade.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.