ansiedade

minha respiração descompassa

cada célula do meu corpo acompanha o vento que sopra:

ágil, sem rumo, procurando por uma liberdade distante, como um alarme de emergência que nunca esteve em um lugar ruim demais pra ser usado

minha ansiedade é uma ponte desabando em um rio interminável

eu ainda seria eu sem ela
mas talvez eu seria entendiante

eu soube que você seria você
quando acalmou e despertou cada célula do meu corpo 
e me lembrou do alarme de emergência tanto quanto o acionou

mas agora você se foi
e a ansiedade continua aqui

a única coisa que me faz saber que ainda estou aqui
é o coração acelerado e o choro sufocado

a ansiedade é a minha velha melodia em um arranjo requintado

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.