Recompense-se a cada conquista, por menor que seja, que isso vai mudar a tua vida!

Durante boa parte da minha vida, estive à espera de grandes conquistas para me recompensar ou comemorar.

Como nos filmes nos filmes de Hollywood ou em novelas mexicanas ou mesmo brasileiras, em que o personagem principal sofre bastante, mas no final triunfa e termina com um mega sucesso, sempre representado por felicidade.

Assim desejava que acontecesse comigo, mas como as grandes conquistas não vinham, quase nunca me recompensava, o que fazia me sentir profundamente fracassado e consequentemente infeliz e pior, me focava excessivamente no futuro e não vivia o presente, que quando virava passado não me orgulhava dele também.

Um ciclo vicioso de esperança, mas não esperança de esperançar que significa dar ou ter esperança; animar (-se), estimular (-se), esperancear (-se), em outras palavras colocar uma luz no túnel. Mas sim esperança de esperar e acreditar insanamente em dias melhores, o que é loucura como bem disse o grande Albert Einstein

“Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes”.

Então decidi que tinha que mudar, mas como mudar quando se está totalmente aprisionado em fortes amarras sociais? Como sair da mesmice para mudar o rumo das coisas quando não se tem certeza de onde se quer ir? Ou ainda, quando se acha que os recursos são insuficientes ou incapazes de tornar os sonhos em realidade? Ou mesmo como ter certeza de que os teus sonhos são teus e não frutos de artifícios de publicidade ou manipulação social?

Primeiro, percebi que precisava lidar melhor com as dúvidas, fazer amizade com elas, pois elas são amigas íntimas e amigas íntimas às vezes assustam, porque nos mostram o que nem sempre queremos ver.

Depois entendi que precisava me fortalecer. Qual a melhor forma de se fortalecer?

É se recompensando por toda e qualquer conquista, não importa o tamanho, a importância ou significância dela.

Então, comecei a me recompensar por pequenas conquistas, comemorar por pequenos resultados e isso aumentou a frequência das recompensas e consequentemente a minha autoestima, que hoje anda em alta.

Outro resultado deste princípio é que cada vez mais conheço pontos fortes que antes nem imaginava ter. E mais, isso melhorou a forma com que me vejo e observo o mundo ao meu redor, me tirando da negatividade para a positividade.

Levando este princípio da recompensa para outras pessoas, recompensando-as pelas pequenas coisas, nos transforma em gente de valor. Lembrando que recompensa não é apenas econômica ou financeira, aliás as recompensas mais valiosas não são financeiras, como essa linda frase do Pequeno Príncipe que diz:

“O essencial é invisível aos olhos”

Então recompense-se a si e aos outros com simplicidade para não perder a essência.

É o que estou fazendo…


Gostou ou não, diga por que, comente e compartilhe que não cobro nada “risos”.

Álvaro C. Adriano

Obrigado “Ndapandula”!