Adios cabeleira! Bye, bye

Ah, você sabia que esse dia ia chegar, vai! Pára com esse drama, Ana Paula, por favor!

Foi assim que eu acordei na terça-feira. Um dia cinza e chuvoso de Curitiba, mais um. Minha cama estava coberta de fios de cabelo, fui ao banheiro e mais um punhado. Meu dia não estava bom, mas eu não podia deixar que ele continuasse assim.

Eu coloquei uma touquinha na cabeça para não cair mais cabelo pela casa, peguei o aspirador e limpei tudo aquilo que eu achava que estava me incomodando. Mas o incômodo não passou, e eu tinha que resolver “aquilo” hoje. Então, eu peguei pela mão do meu companheiro (sempre ele) e fomos atrás de perucas lindonas para essa minha nova fase. Daquele dia não passava.

Visitamos duas lojas, experimentei várias perucas, mas não gostei de nada. E aquele apertinho no peito só piorava. De repente veio aquela voz interior (aquela chamada anjo da guarda), e me disse: “Lembra que te falaram para procurar aquela Associação de mulheres com câncer de mama? Amigas da Mama! Liga lá, elas vão te ajudar!”

E assim foi:

- Associação Amigas da Mama, boa tarde.

- Oi, boa tarde! Meu nome é Ana Paula, e recentemente eu descobri que estou com câncer de mama. Já fiz três sessões de quimioterapia e meu cabelo começou a cair. Me disseram que vocês têm perucas aí, que poderiam me ajudar…

- Claro, querida! Pode vir, já raspamos a sua cabeça, experimentamos as perucas, te ensinamos a usar lenços... Já sai daqui pronta!

- Ok, estou indo. Obrigada.

Desliguei o celular sem tempo de pensar! Ela mandou na lata “vamos raspar sua cabeça”, e eu me senti na obrigação de ir correndo pra lá!

Quando eu cheguei lá, todo o meu dia cinza evaporou! Quem me recebeu foi um anjo chamado Lurdinha. A Lurdinha teve câncer de mama há 15 anos atrás, e naquela época sem muita informação para se apoiar, encontrou a Associação começando, nascendo! E há 15 anos ela se doa para ajudar outras mulheres guerreiras como ela!

A Associação das Amigas da Mama (AAMA) foi fundada em agosto de 2001, através da união de mulheres que vivenciaram o câncer de mama, que se conheceram através do convívio durante o tratamento. Hoje, as voluntárias revertem a experiência que tiveram com a doença em prol de outras mulheres que estão enfrentando a mesma situação e que precisam de apoio. E pasmem, elas não tem ajuda NENHUMA do Governo, elas mantém a Associação apenas com recursos próprios e doações.

A Lurdinha me contou a sua história com bastante alegria, ela olhava bem no fundo dos meus olhos, e me passava uma energia que eu não consigo descrever. De repente eu estava feliz, sorrindo. Ela me levou para uma sala de transformação que elas têm na Associação, onde as mulheres se descobrem mais belas, por dentro! E ela falava tanto, ria tanto, contava sobre a rotina da Associação, e nessa ela foi cortando meu cabelo, raspando, e foi indo, foi indo! E foi… MARAVILHOSO! Bendita foi a hora que eu encontrei vocês, Amigas da Mama! Vocês transformaram o momento que seria o mais doloroso do meu tratamento, em uma festa! Uma festa de amor ao próximo!

O Love filmou esse momento. Não é igual à Camila de Laços de Família, pode acreditar!

Saí de lá felicíssima! Acredite, não estou mentindo… eu estou feliz! Sem falar que eu saí carregada de presentes! Uma peruca linda de cabelos naturais, chamada Vitória, lenços exuberantes para ousar, uma almofadinha linda para me dar conforto nas minhas sessões de quimioterapia, além do coração cheio de alegria!

Se você gostou do trabalho dessas mulheres maravilhosas e quer ajudar, acessa a página delas no Face e adote essa causa. Eu quero estar sempre junto com elas. https://www.facebook.com/Amigasdamama/?fref=ts

Agora era hora de mostrar para as minhas crianças como a mamãe ficou. E eu não podia ganhar um presente maior dos meus filhos do que muito amor, carinho e elogios, muitos elogios! A Bia me beijou na careca, me falou que eu estava linda! Quer me mostrar para todos os amiguinhos na escola. Combinamos que só ela lava minha careca daqui para frente ❤ O Dudu é aquele guri lindo e gentil que todo mundo conhece, me abraçou, falou que eu estava gata, e que ia raspar o cabelo também. Agora somos três carecas em casa.

Eu gostei muito do resultado. Tenho uma cabeça bem bonitinha até. hahahaha.

E como não poderia ser diferente, eles estão juntos comigo, sempre!
O que diferenciava a gente era o tamanho do cabelo. Agora somos iguais ❤

Se você achou que ia ser um texto melancólico, não foi dessa vez. É preciso pensar positivo, mas também é preciso pedir ajuda quando você não consegue sozinho. Não é errado ficar triste, o segredo é que a vida é feitas de ondas, e temos que ter a certeza que a felicidade e a alegria estão logo ali, na crista da onda. Minimize os momentos de tristeza (vales das ondas), e eles passam sem grande sofrimento.

O pensar positivo nos ajuda a encarar a vida de uma maneira mais realista e menos catastrófica, além disso, o pensamento positivo tem um papel muito importante no que diz respeito ao nosso sistema imunológico, e o que eu mais preciso agora é de um sistema imunológico porreta!

Beijos ❤ ❤ ❤