Carta do chan ao Felipe Neto

Olá a todos da internet casual e ao Felipe Neto. Esta é uma mensagem com endereçador e destinatário definidos. Falo na condição de channer anônimo e em nome de todos, ou boa parte dos usuários de chans no Brasil, e me direciono ao próprio Youtuber e aos usuários casuais da internet. Felipe Neto fez o que sabe fazer de pior, falar de todas as coisas que ele não gosta em algo e induzir as pessoas a acreditar nelas. É com essa habilidade de falar merda que ele está agora ligando coisas ruins da internet no geral aos usuários do chan. Surtos de controvérsia como Gustavo Guerra e o recente caso do vídeo defendendo a pedofilia estão sendo diretamente associado à cultura do chan.

Mas o que é essa cultura? Sabem os memes do “trollface”, “forever alone”, “este é fulano”, “vai lá” e uma quantidade sem fim de memes que blogs e Facebook curtiram nos últimos anos? Sabem a campanha que atingiu o Facebook protestando contra a limitação da banda larga? Isso e boa parte do conteúdo de entretenimento da internet vieram de lá. Em uma era onde a busca por atenção domina o mundo, sobretudo a internet e redes sociais, pessoas sem nome criaram conteúdos simplesmente por boa vontade, para rir um pouco, para gerar o que o Felipe Neto chamou de lulz. Essas pessoas não se identificam não por medo de algo, mas por serem excluídas socialmente, por não serem aptas a lidar com as situações normais de sociabilidade, pois o mundo cão sempre pisou nelas e não lhes deu oportunidade de se expressar. Essa é a verdadeira opressão. Enquanto isso, a internet reproduz o que blogueiros mercenários como o Felipe Neto copiaram do chan para gerar lucro e buscar atenção. Entre outras funções positivas o chan ajuda depressivos, suicídas, contribui com conhecimento de línguas, programação, Do It Yourself, eletrônica, estudos de vestibular, entre outras coisas que as redes sociais estão pouco se fodendo por focarem apenas em propagar a imagem de uma pessoa, apenas divulgar o rosto acima do conteúdo. O ambiente do lugar tomou as dores de abrigar poucos usuários que replicam o erro.

Mas vamos dizer para vocês que o Felipe Neto realmente tenha dito coisas que acontecem no chan. É um lugar onde, pelo anonimato, as pessoas podem mostrar sua verdadeira face e, num tom sátiro, expôr ideias racistas e machistas no fórum. Mas pensem comigo, por que isso é tão absurdo? Por que é tão estranho a nós saber que existem pessoas racistas, machistas, pedófilos e psicopatas? Esse é um verdadeiro tabu na nossa sociedade, onde a ditadura do politicamente correto veda o direito de se expressar. Se em alguns lugares é controverso apoiar o impeachment da Dilma, quem dirá de se dizer racista. Isso é o que move o fetiche pelo anonimato, a vontade de calar toda e qualquer manifestação sincera de um cidadão, por mais controversa que ela seja. É por esse motivo que Bolsonaro fica famoso, é por esse motivo que o racismo satírico está crescendo na internet, que as feministas são ridicularizadas. Por isolar e calar tais pessoas que elas se sentem reprimidas e quando têm qualquer tipo de abertura exalam totalmente suas opiniões. Ninguém tenta mudar a opinião de alguém no debate, sempre tenta impôr.

Agora vos pergunto, que moral tem Felipe Neto para falar de pessoas que anonimamente expressam suas opiniões polêmicas? Uma pessoa que molda totalmente sua opinião para vender seus vídeos, que só pensa no lucro que pode ter abraçando uma ou outra opinião diferente do que costumava pensar, que está constantemente negando o que realmente pensa pra poder fazer seus vídeos. Um homem sem fibra moral, sem personalidade, que se desdobrou do que falou pra agradar feministas. Uma pessoa que vê em tudo uma oportunidade de gravar 10 minutos de crítica mal elaborada com coisas que ele não gosta, mas não vê problema se der algo errado em desmentir tudo o que falou. Felipe Neto se alavancou no próprio chan, lugar onde fomentava o conteúdo de seus próprios vídeos. E agora bate numa tecla ridícula de que precisa vencer uma guerra que nem mesmo está sendo lutada, pois o mesmo cavou sua própria cova. É estranho pensar que o Felipe Neto tenha envolvido os seus seguidores, em sua maioria crianças e adolescentes, num lugar onde está claramente dito que é proibido para menores de 18 anos, onde se posta pornografia, mutilações, cadáveres, xingamentos, violência e eventualmente o próprio conteúdo que o mesmo está criticando. É estranho pensar que ele tenha tido a malícia de envolver esses menores nessa guerra fictícia só para engrandecer o seu canal. Mais uma vez visando somente o lucro que pode obter sugando um conteúdo que não é dele.

Então saiba, Felipe, que essa guerra você já perdeu. Perdeu primeiro quando chamou de guerra e se declarou contra nós. Perdeu quando soltou seu público em um site de conteúdo perigoso. Perdeu no momento em que a sua língua se manifestou contra coisas que sabem se defender, e que tem todas as condições de se defender. A menos que o governo federal tranque a internet inteira, nós estamos por toda parte, nós continuaremos produzindo conteúdo sob a forma de nossa cultura, os racistas continuarão a nos procurar para se expressar, os pedófilos continuarão entre nós. Nós não controlamos isso, somos anônimos, não conhecemos uns aos outros, apenas conhecemos a liberdade que nossa cultura proporciona em função da que você vive, escravo do politicamente correto.