Reza.

I

A Virgem do céu, no alto do altar
Mira seu olhar de misericórdia.
Meus olhos cheios do minério
e calcário que tudo embota, 
jamais olharam semelhantes

olhos prateados,
que outras mil cores inspira, 
e o coração que, imaculado,
bombeia o sangue
que correrá no Salvador.

E com meus olhos puxo teu manto
azul, com as estrelas
cravado, jóias daquele Céu,
sobre o qual teu Filho, no colo
autoridade lhe deu.

Para que com ele me cubra,
e rogue junto Dele, Senhora,
para que me reclame. 
Peço que me rapte,
e retire da minha boca

um perfume novo
e me dê um Sim,
que o meu é frio e vacilante.
Sei que, mesmo nas cinzas,
teu manto será Manjedoura.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.