Como usar a regra 10/10/10 para tomar melhores decisões

Imagine que você está diante de um dos maiores dilemas da humanidade: comer ou não comer um bolo?

Você está no seu primeiro mês de academia e tudo está indo muito bem.
Você parou de comer aquele hambúrguer da rua que você tanto gosta(va) e começou a se alimentar bem.
Hoje foi mais um típico dia em que você chegou em casa, depois de malhar, e foi comer seu prato fitness.
Mas, ao abrir a geladeira você se deparou com uma linda fatia de bolo de morango que seu irmão deixou pra você na visita dele.

Comer ou não comer? (eis a questão)

Você de repente começa a suar mais do que quando estava malhando e toda a sua força de vontade começa a batalhar numa violenta guerra!
Você tenta se convencer que não pode comê-lo, pois vai jogar por água abaixo toda a malhação de hoje, talvez até a de ontem!
Mas, logo depois, sem querer querendo, você tenta se convencer de que você é merecedor(a) de comer aquele bolo, já que “você tem malhado tanto, precisa de uma recompensa” , você pensa.

Então você come o bolo.


Todos nós já tivemos um dilema assim. Provavelmente não com um bolo, mas foi com outra coisa que, no momento, parecia ser mais urgente do que o próprio ar que respiramos.

Decisão

Tomar decisão é uma atividade muito difícil, porque diferentemente do que pensamos ela não é um processo lógico, mas sim emocional.

Há alguns anos atrás o neurocientista Antonio Damasio estava estudando pessoas que sofreram danos na região cerebral onde a emoção é gerada. Elas pareciam normais, com a exceção de não sentirem emoções. Mas elas possuíam uma particularidade em comum: elas não conseguiam tomar decisões. Elas conseguiam descrever o que deveriam fazer, mas mesmo assim não conseguiam tomar essa decisão¹.

Dito isso, temos que aprender a controlar nossas emoções antes de tomar uma decisão, porque a nossa lógica às vezes nem opina e a decisão já foi tomada impulsivamente.

Um dos melhores modos de controlar a emoção é através do distanciamento.

O melhor exemplo disso é aquele momento em que o(a) seu amigo(a) estava tentando escolher entre duas opções aparentemente óbvias. Pelo menos para você parecia óbvia. Para ele(a) era quase tão sério quanto a escolha de Sofia.

Por que pra você parecia tão evidente?

Porque você não estava nem um pouco apegado(a) à escolha, para você era somente uma escolha entre 1 ou 0. Simples assim.

Para isso que existe a regra 10/10/10, ela nos ajuda a nos distanciarmos das nossas decisões para pensarmos claramente.

Regra 10/10/10

Ela foi criada pela Suzy Welch e o funcionamento dela é bem simples. Quando você tiver que tomar uma decisão você deve se perguntar:

O que eu vou pensar sobre essa decisão 10 minutos após ela?
O que eu vou pensar sobre essa decisão 10 meses após ela?
O que eu vou pensar sobre essa decisão 10 anos após ela?

Usando o nosso exemplo do início, o que você, uma pessoa fitness, pensará:
10 minutos após comer o bolo?
10 meses após comer o bolo?
10 anos após comer o bolo?

Acredito que nos primeiros 10 minutos você irá se sentir muito culpado(a). Depois de 10 meses você vai lembrar dessa situação e pensar que você poderia ter resistido ao bolo, pois ele era somente um bolo. E em 10 anos você vai se achar estúpido(a) por não ter resistido a um simples bolo.

O distanciamento nos faz perceber que os monstros (decisões) que enfrentamos são, na maioria das vezes, bichinhos bobos.

Objetivos

Uma observação, essa regra funciona melhor quando ela está vinculada aos seus objetivos.

Vamos dizer que você quer ser, por exemplo, um programador.
Você pode analisar os seus hábitos atuais e passá-los pelo filtro 10/10/10.
Talvez perceba que você passa muito tempo no Facebook naquele feed infinito dos infernos. Então você analisa esse hábito sob a regra 10/10/10.
Você acha que o seu eu do futuro vai pensar que foi o melhor investimento do seu tempo?

(Ou melhor, analise o seu passado e veja se o hábito de ficar olhando o feed acrescentou algo a você hoje)

Acredito que não.

Conclusão

É muito legal poder ter uma claridade maior na hora da decisão. Mas é um mindset que terá que ser aplicado diariamente até virar um hábito.
Não é muito fácil, porque a nossa mente gosta do imediatismo.
Contudo, todos nós sabemos que esse não é o melhor modo de viver a vida, só esquecemos às vezes.


Obs.: o Ariel de 2027 concordou que esse post foi um bom investimento do nosso tempo.

Like what you read? Give Ariel Silva a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.