Um Banco Diferente | Conheça a trajetória da empreendedora do Banco Pérola

Artemisia
Jul 15, 2018 · 3 min read

O que é o crime de assaltar um banco comparado ao crime de fundar um?” O autor dessa frase, Bertold Brecht — dramaturgo, poeta e romancista alemão; considerado um dos grandes pensadores do nosso tempo — não viveu para conhecer um novo modelo de banco: uma organização creditícia, que pensa primeiro nas pessoas, antes de aferir o resultado financeiro. Ao ser entrevistada por Antônio Abujamra, em 2011, Alessandra França, diretora-presidente do Banco Pérola, sorriu ao ouvir a frase. A banqueira às avessas classificou a elaboração como parte de um capitalismo selvagem, muito distante do empreendedorismo de impacto social que defende. Participante de um processo de aceleração da Artemisia, em 2009, a empreendedora tem acumulado grandes conquistas; recentemente, ela ganhou o Prêmio Profissional do Ano da ANEFAC, na categoria Jovem Talento.

Alessandra nasceu em Guaraniaçu, uma pequena cidade do Estado do Paraná. É filha de agricultores que lutavam muito contra a seca. Após um período de estiagem, a família perdeu a lavoura e decidiu partir para a cidade grande em busca de melhores condições de vida. Os pais escolheram o município de Sorocaba, em São Paulo, onde passaram a residir em um bairro periférico, próximo às indústrias. A experiência familiar, uma bolsa de estudos e um projeto social foram os ingredientes para transformar Alessandra França — formada em Marketing e com MBA em gestão de pessoas e finanças com ênfase em bancos — em uma das empreendedoras sociais mais inspiradoras do Brasil.

Alessandra comanda o Banco Pérola, organização voltada à concessão de crédito para nanoempreendedores, microempreendedores e empresas de pequeno porte. Com um Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios — um dos diferenciais do negócio — criou um canal direto com o investidor para garantir taxas mais competitivas, serviço ágil e adequado ao tamanho das empresas atendidas. Alessandra trabalha com o chamado microcrédito produtivo orientado, que auxilia o empreendedor a fazer o melhor uso do dinheiro recebido. De 2010 a 2016, o Pérola apoiou 1.143 pessoas diretamente e 4.572 indiretamente; números que têm crescido ano a ano. Em 2017, o valor concedido foi de R$ 1.049.125,26; no acumulado dos últimos oito anos, o montante de R$ 8.768.686,32. Grande parte desse valor foi emprestado a mulheres empreendedoras da base da pirâmide. Há quatro anos, o Pérola conseguiu aprovar o fundo de investimento na Comissão de Valores Imobiliários (CVM) e hoje atua com uma plataforma de microfinanças.

Alessandra gosta de citar que a etimologia da palavra “crédito” tem origem no latim creditum, particípio passado de credere: acreditar, confiar. No dicionário da Língua Portuguesa, crédito é um substantivo que significa confiança que inspira as boas qualidades de uma pessoa; confiabilidade, credibilidade. Com o Banco Pérola, Alessandra França resgatou o sentido bonito e nobre da palavra.

  • Maure Pessanha, coempreendedora e diretora-executiva da Artemisia, organização pioneira no fomento e disseminação de negócios de impacto social no Brasil.
  • Texto publicado originalmente no Blog do Empreendedor — Estadão PME.

Artemisia

Written by

Artemisia

Trabalhamos para identificar e potencializar negócios de impacto social. www.artemisia.org.br/

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade