Foi mal

Eu só queria te pedir desculpas. Sei que depois que o leite cai, toda lágrima derramada é em vão. Porque já é tarde demais e nenhum de nós vai sair por aí lambendo o chão de onde quer que seja.

Ainda assim eu só queria te pedir desculpas. Porque eu não pude ser para você cada coisa boa que você foi para mim e por ser tão pobre a ponto de só ter esse vento frio para te dar em troca de toda a luz que você despejou nos meus dias.

Não quero te fazer mudar de idéia. Não tenho esse direito. Só queria mesmo te pedir desculpas. Porque eu falhei em te fazer feliz, quando fazer você feliz era a única coisa que valia mesmo à pena.

Eu só queria que você soubesse que não foi de propósito. Que eu queria que você se sentisse tão feliz quanto eu me sentia quando a gente andava de mãos dadas. Que você nunca foi de menos, nunca foi pouco, nunca foi qualquer nota. Eu só não sabia direito como dizer isso. Nunca soube. Muito menos como mostrar.

Queria te pedir desculpas por ser esse sujeito distraído. Queria que você soubesse que foi só falta de atenção, nunca de afeto. Que foi sem querer, mesmo sabendo que ser sem querer não muda nada. Desculpa por não precisar, mas querer, quando tudo que você desejava era alguém que precisasse mesmo não querendo.

Queria te pedir desculpas, de verdade, por fazer você pensar que o mundo que você me dava não era suficiente, quando, na verdade, o mundo que você me dava era quase tudo o que eu tinha.

Desculpas, acima de todas as coisas, por tentar tão pouco. Ou por tentar com tudo, mas esse tudo ser tão pouco diante da imensidão que vinha de você.

A.

Like what you read? Give Cartas para ninguém a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.