L’Oreal (Ou mais uma tentativa de cultivar amor-próprio)

Então… Essa semana foi bem movimentada, e meu estado de espírito passou por uma montanha russa (de novo). O ponto mais baixo foi quando Tati, de todas as pessoas, dropou o martelo, dizendo que eu a idealizava demais, que tudo não passava de um sonho e que ela queria ser mais realista e que mesmo se eu ganhasse na loteria, ela não ia querer mais me ver.

Nada que eu já não soubesse ou tivesse ouvido antes, mas eu fiquei “triggered” do mesmo jeito. Passei uns maus bocados pra dormir de terça pra quarta, mas aí, eu não estava realmente triste. Estava com raiva, porque depois do que houve com Roberta, eu sabia que não podia voltar ao estado de sempre, como descrito na imagem:

Minha vida amorosa in a nutshell

No auge da frustração, eu acabo entrando em uma conversa com Sara, e ela confessou que oscila entre ser exigente demais e/ou gera expectativas demais sobre tudo. Note ainda que eu to “outsourcing” tudo o que eu poderia pensar sobre o assunto. E em determinado ponto, eu percebo algo óbvio:

Sim, talvez eu seja chato, só fale de mim e do que me interessa, tenha uma pressa muito grande pra que gostem de mim como eu sou. Mas a desculpa de que eu preciso de uma mulher pra ser normal não é nem de longe aceitável. Até porque, segunda-feira, eu provei a mim mesmo que isso é ridículo!

Se alguém me julgar anormal porque eu sou desse jeito, não é arrumando uma mulher que essa impressão muda. Melhor ainda é não me importar com essa impressão. Claro, já falei isso milhões de vezes, e essa talvez seja só mais uma tentativa, mas o fato é que depois da conversa com Sara, eu nunca estive mais feliz!

É um privilégio poder esboçar um sorriso enquanto trabalho, por causa de um caldinho comprado no Cais, saber que as contas estão pagas e que eu ainda sou o fodão com vetores. Mas mais ainda, saber que essa euforia não precisa acabar por causa de mulher!

E essa parte, é pra se algum dia eu tiver uma recaída e precisar lembrar do por que eu sou especial:

  • Eu sou um H-A-T-O-R! Eu posso ser QUEM EU QUISER! Por que não, o gordinho-que-voltou-a-fumar-e-coleciona-gunplas-e-adora-desenhar-a-si-mesmo?
  • Quando tudo mais falhar, eu preciso lembrar que eu tenho amigos que me conhecem tão bem que acham graça das minhas idiossincrasias.
  • Eu desenho, eu pinto, eu escrevo, eu esculpo, eu monto gunplas(SIM, ISSO É FORMA DE ARTE TAMBÉM! VAI OLHAR OS CUSTOMS DA GBWC PRA TU VER SE AQUILO NÃO É ARTE!), e o que eu não sei fazer e quero aprender, eu simplesmente aprendo! Se eu não sei fazer algo, é porque eu simplesmente não me importo ❤ E se eu sou um artista, é porque é o que eu gosto de fazer, por menos famoso ou respeitado que eu seja!
  • Se eu via ter uma mulher livre como uma “insígnia de honra” por uma mulher badass me escolher, ela ainda vale se elas me vetarem também, se eu levar essa merda na esportiva! Roberta e eu estamos melhor que nunca justamente porque eu simplesmente não me importo com ter sido vetado por ela!
  • Lembre do que Adriana (Sim, ela!) e Danilo disseram: Eu não preciso sofrer por todo o caminho até o fim da Missão! E definitivamente não preciso apenas “comer cinzas”. Dito isso, eu realmente gosto da sonoridade de “Ashtray Pyke” e não desistiria do apelido mesmo se algum dia cumprir a Missão!
  • Por mais estranho que isso seja, EU TENHO FÃS! Literalmente! Então, eu devo ser bom em algo :v
  • Se tem uma lição que painho me ensinou e eu aprendi bem é a de que as melhores coisas da vida são as mais simples! E se eu consigo manter o riso fácil e consigo ter uma crise de gargalhadas enquanto uma dondoca de Santos-SP está me chamando de animal porque ela precisa pagar uma taxa de R$90,00 pela visita técnica na casa dela, então eu não preciso realmente de muito pra ser feliz.
  • Bom… Eu sou bonito SIM! Nunca me achei bonito por nunca estar no padrão, mas a verdade é que se eu fosse mulher, eu dava fácil pra mim mesmo, porque eu faço gostoso, sou um amorzinho, além de ter um olhar bem tenro ❤ (Dito isso, eu realmente to espantado com as reações pela minha foto sem camisa)
  • Por ultimo, mas não menos importante, eu já pratico a coisa do “voar solo” todo dia, pra tudo que não envolve mulher! Não que eu queira adotar celibato, tudo que eu quero conseguir é não mudar meu “mindset” só porque estou interessado em alguém, mesmo que isso signifique sair recusando coisas “certas” pelos motivos errados.

Se eu falhar, eu espero ter esse post pra me lembrar de começar de novo, e de novo, até que eu aprenda de vez o que é ter auto-estima, até que eu não dependa de uma namorada pra ser feliz, até que eu entenda que ser feliz é ser o que diabos eu quiser e cagar e andar pra o que o povo espera de mim!