Precisamos falar sobre séries #18 - Obrigada por tudo, Arrested Development

É isso. Chegou ao fim. Assisti às três temporadas de Arrested Development, e por isso quero fazer alguns agradecimentos.

Obrigada, Buster, por ter sido o garoto mimado mais paranoico e sem-noção que eu já vi no mundo das séries de televisão. Sua mão comida pela foca jamais será esquecida.

Obrigada, Michael, pelo momentos ultra mixed feelings. Algumas horas eu tinha dó de você por ser membro da família Bluth, em outros eu queria dar uns tapas na sua cara. Mas é assim, né? Todo personagem complexo te dá sentimentos conflitantes. Você é foda.

Gob… Nem sei como me despedir. Você, o cara mais fanfarrão que eu já vi nas séries. Espero que a sua autoestima finalmente passe a existir, e você volte a ser aceito na Associação de Mágicos. Obrigada por tudo, cara. Vou sentir saudades de você gritando “Michael!” sempre que chega ao recinto e, claro, da sua incrível imitação de galinha.

Tobias, puta que me pariu. Você é um dos personagens mais estranhos já criados. Mas mesmo assim, você foi um dos poucos que me fazia rir praticamente todas as vezes que abria a boca. Obrigada por isso.

Obrigada, Lucille, por ter me mostrado a whole new level of como ser uma péssima mãe. Nunca ninguém chegará aos seus pés com o seu olhar de desprezo e a sua tolerância sem igual a álcool. Ah, e claro, a sua imitação de galinha é a minha segunda favorita da série.

Quero agradecer ao George Michael pela sua estranheza sem precedentes e por ser o único membro minimamente são da família Bluth. É nóis.

Por fim, mas não menos importante, obrigada, Mitchell Hurwitz por ter criado a série de televisão que não apenas é uma das mais engraçadas e complexas que eu já vi, como também é a que criou precedentes nas comédias televisivas.

Sinto que assistir apenas uma vez às três temporadas de Arrested Development não basta. São tantas piadas internas, trocadilhos e referências internas e externas que ver mais de uma vez deve ser mais divertido do que as reprises de Chaves.

Fica a minha recomendação: se você curte basicamente qualquer série de comédia, veja Arrested Development. Aí, depois, você pode vir me agradecer também. ❤

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.