Diálogo Noturno

Há um espaço no tempo que me pertence há mais tempo que o Agora. Comumente chamado de Passado. Estou saudoso, e acho que por isso ando habitando tanto essa parte da minha consciência. O Passado onde cultivo a felicidade daqueles dias que podiam voltar, embora eu perceba a importância de entender que eles têm seus lugares na existência.
Diálogos com homens que perambulam em praças e me colocam a pensar sobre o papel da consciência de si, e da inevitabilidade do fato de que ser sóbrio num mundo de vícios abundantes parece a ‘loucura mais-que-imperfeita’.
Este diálogo é conflituoso: “Essa tua arrogância icônica é tal de um ser tão como você: convictamente humano demais.” Há um ego que almeja visibilidade, apaixonado excessivamente por si. Divinizando-se.
E o homem esbraveja como quem sabe que traz o fim pra um dilema:
“Se você é deus, eu sou a Loucura”

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Lucas Santos de Oliveira’s story.