Liga pra sua mãe.

Acabo de desligar o telefone com minha mãe e a sensação é de menos alguns quilos nas costas. As mães têm esse poder, basta dar uma palavra de conforto e o mundo volta a ter solução até nos piores dias. A comunicação com minha mãe é uma das conexões mais fortes que temos, foi através de palavras que ela baseou minha educação e é também através das palavras que hoje eu construo minha profissão. Minha mãe sempre foi transparente, de não nos poupar de saber o que está acontecendo. Se sente, ela fala. Se dói, ela expõe. Se tá feliz, ela compartilha. Nunca escondeu suas lágrimas quando tudo parecia desmoronar, nunca economizou "me desculpe" quando percebeu seu erro e jamais se calou diante uma injustiça. É quando ela revela seus piores defeitos e se faz tão humana, que eu a acho a pessoa mais forte do mundo.

Quando eu tinha 8 anos, ela me perguntou se eu queria conhecer o meu pai. Aos 9 anos, pediu minha ajuda com a educação da minha irmã. Aos 11 anos, queria saber se ficaríamos bem se ela viajasse sozinha. Aos 14, pediu minha opinião sobre morar com a minha avó. Aos 18, perguntou se eu usei camisinha. Aos 19, se eu gostava da faculdade. Aos 21, o que eu achava do seu namorado. Aos 22, se eu casava por amor. Aos 24, mesmo chorando, me deu apoio quando decidi sair da sua casa. É assim, com muita conversa e sinceridade, que ela cria nossa pequena família de três, mostrando que a minha verdade vale mais do que a dos outros, porque quem sabe do nosso amor somos nós.

Minha mãe me liga todos os dias “só para ouvir minha voz” e não cansa de dizer o quanto me admira. Por culpa dela, hoje me sinto muito maior que meus 1,53m exibem. Me sinto amada pela mulher que me tornei, muito além da relação familiar que nos une; hoje, sou segura da minha capacidade, não tenho medo da minha fala, procuro compartilhar palavras de bem, ser justa com o próximo e comigo mesma. Se algum dia surgiu a dúvida se ela seria uma boa mãe solteira, é só olhar para as duas fortes mulheres que criou. O meu nascimento nos tornou mãe e filha automaticamente, mas é essa nossa relação de conversa que nos ensina mutuamente a evoluir como seres humanos.