Whata fuck Beibi, vc toca forró eletrônico?

Hello folks, aqui quem fala é o Beibi (esse aqui embaixo na foto), zabumbeiro e vocalista dos Zaíras. Há menos de um mês lançamos uma nova música, e em várias resenhas que saíram sobre ela viu-se o uso do termo “forró eletrônico” para classificá-la. Isso causou um estranhamento na galera, e escrevi essas linhas sobre…

Esse texto é pra você que sempre separou música em pacotinhos, e eu me incluo nessa. Acho que todo mundo em algum momento na vida já foi superficial sobre algum gênero musical desconhecido, como por exemplo pensar no rock como um bando de maluco berrando letras mais malucas ainda, ou no forró como um bando de gente de sandália de couro dançando num salão. Blz, normal.
Agora, pense em uma banda que você gosta muito. Não sei que estilo de música você ouve, mas tenho certeza que essa banda que você pensou, em algum momento da carreira, transgrediu algum estigma. Ela saiu da caixinha que o estilo dela limita. Como o Sepultura gravando com os índios xavantes, como o Paralamas incorporando ritmos caribenhos (você tinha notado isso?), ou Los Hermanos tocando marchinha de carnaval hardcore. Você já tinha sacado isso nessa banda que você gosta?

Pois é, toda essa música presente na trilha musical da sua vida já te transformou muito. Essa música te influenciou porque foi um som *verdadeiro*, porque te surpreendeu, te fez pensar na vida, ou simplesmente te fez dançar e ser mais feliz. De qualquer forma, a música transforma. E todo dia eu transformo e sou transformado pela música do mundo todo. Minha música é isso, a música dos Zaíras é isso.
Nosso som está se transformando, e estamos muito felizes, trabalhando no disco novo, e sem falta modéstia, colocando sorrisos no rostos de todo mundo que entra na vibe do nosso som. 
Agora pense na imagem que você sempre fez dessa expressão: “forró eletrônico”. Agora ouça nosso som. Pronto. 
Vamo pra frente, que prá trás não dá mais!
VIVA O SOM!

Leia a matéria: http://goo.gl/yCMHmc
E ouça o som: https://youtu.be/4BvR2TnlYAE