Você consegue ser produtivo no seu trabalho?

Conciliar a eficiência no trabalho com lazer não é pecado; ter horários flexíveis pode ser incrível para quem trabalha em áreas que envolvem a criatividade

Por Vinicius Boreki

Um dos conceitos da produtividade é o seguinte: “A expressão da eficiência de qualquer negócio”. Ou seja, cada tipo de empresa precisa se adaptar para se tornar mais produtiva, e as ferramentas e metodologias usadas devem, obrigatoriamente, ser variadas. Uma fábrica precisa de regras explícitas, horários de trabalho e turnos definidos e uma gestão mais “rígida”. Um comércio de rua precisa estar aberto em horário comercial. Mas e para quem trabalha com produção de conteúdo?

Nosso trabalho se baseia, basicamente, em pesquisas, entrevistas, análises, interpretações de dados, leitura de jornais, de artigos e, sobretudo, de criatividade e muito suor. Produzir diariamente, buscar novos enfoques, tentar tornar um assunto complexo em simples e atrativo… Enfim, os desafios variam conforme o produto, o público-alvo, o meio, entre outros aspectos. E ser produtivo, nesse contexto, varia de pessoa para pessoa.

Eu, por exemplo, gosto de escrever pela manhã. Não que eu não consiga escrever à tarde ou à noite, mas me conheço o suficiente para saber que funciono melhor pela manhã. Por isso, em meu mundo ideal, faço as análises, pesquisas e interpretações necessárias no dia anterior para escrever. É o meu método de trabalho mais eficiente desde quando trabalhava no jornal Gazeta do Povo: adorava ter matérias especiais que podiam ser apuradas em dois dias, pois fazia boa parte das pesquisas e entrevistas no dia anterior para fechá-la no dia seguinte, se possível pela manhã.

Lemos por aí que as principais empresas do mundo oferecem diferentes condições para seus colaboradores se tornarem extremamente produtivos, em especial as empresas de tecnologia. E isso, em outras palavras, quer dizer que você não vai estar 24 horas (ou as 8, 10 horas do seu horário combinado em contrato) exclusivamente sobre suas obrigações. Tivemos a oportunidade de conhecer um pouco dos escritórios da Microsoft em Redmond, próximo a Seattle, e, no horário de almoço, por exemplo, é possível jogar fliperama, sinuca e até curtir um som. E as pessoas não passam o dia inteiro nesse espaço, mas aproveitam essa liberdade para se tornarem mais produtivas.

#partiu videogame?

Nós, da B&T Conteúdo, integramos o grupo de novos profissionais que acredita na liberdade para se produzir, desde que os prazos para cada projeto sejam cumpridos à risca — pergunte a nossos clientes, se quiser! Se você gosta de passar a madrugada trabalhando e dormir de dia, ótimo! Desde que entregue os trabalhos no prazo e esteja disponível para tirar as dúvidas nos momentos apropriados. E, se por algum motivo, aquele texto não está saindo? Que tal jogar um pouco de videogame? Ao esquecer o problema, a solução parece vir sem sofrimento.

Não vemos lógica em trabalhar das 8 às 18, com 1h12 de almoço, exceto em negócios no qual essa regra seja extremamente necessária. Temos fé nas pessoas de que os prazos serão cumpridos e que, se, naquele dia ela está com menos trabalho, ela pode ir passar um tempo com a sua família. Mas esse contrato implícito também diz que ela vai estar disponível quando a carga de trabalho exigir horas-extras.

Ou seja, estamos plenamente dispostos a trabalhar, mesclando nossas vidas profissionais com as necessidades pessoais em busca de qualidade de vida. Para nós, ser produtivo não se trata só de entregar tudo no prazo estabelecido, mas ter uma carga de autoconhecimento que permita fazer isso com qualidade de vida, sem regras quadradas e confiando em nossos parceiros.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.