Abóbora corintiana, Santos invicto com riscos e Diego por Everton Ribeiro


O Corinthians perdeu a força no Brasileiro e na Sul-americana também. O empate com o Racing, em reconstrução após o fim da temporada argentina e inicio da nova é um alerta quase vermelho no “virtual campeão brasileiro”.

O time aproveitou os espaços no primeiro tempo, mas marcou apenas um gol infiltrando pela parte central e finalizando com Maycon. Jô só marcou — sem querer diga-se — contra a Chape, Rodriguinho, convocado para a Seleção, não infiltra, dá assistência ou faz pivô que funcione como antes.

A queda coletiva atrapalha o individual, até Cássio em um ano quase perfeito, rebateu no pé do argentino no gol de empate. Novamente o Timão teve mais posse de bola, 55%, cruzou 36, mas finalizou 10, assim como o adversário.

Carille usou o time titular também com intuito de vencer e retomar a confiança da equipe. O efeito foi o inverso, o time virou abóbora, vai precisar vencer na Argentina, mas a gordura pode fazer o time campeão brasileiro.

André Rocha costuma escrever que o Santos é um time de trocação, parte pra cima como uma briga de rua. Ataca, defende, contra-ataca, contra-defende. Está a 17 jogos invicto, mas corre muitos riscos. Não fosse Vanderlei teria perdido a partida para o Barcelona e outras na sequência.

O empate no Equador em 1x1 pelas quartas de final da Libertadores é bom resultado, o Palmeiras perdeu lá. No entanto a partida não foi lá essas coisas, foram 15 finalizações contra os santistas, 45 cruzamentos, e 63% de posse de bola. Não significa um domínio muito grande, só uma enorme tentativa em chegar ao gol e risco excessivo.

Na mesma fase da Libertadores Botafogo x Grêmio fizeram um jogo muito parelho. O gaúcho foi levemente superior, ficou mais com a bola e finalizou mais. Pouco para merecer a vitória. Placar: 0x0

No Flamengo erros antigos continuam existindo e Rueda opta por Diego titular e Everton Ribeiro no banco, com se fossem jogadores equivalentes. Um entrou no lugar do outro na segunda etapa. Aquele velha história de um não poder jogar no lugar do outro.

O passado e o presente provam o contrário, Everton foi bicampeão brasileiro jogando pela direita, e já atuou assim nesse Fla. Berrio foi importante em alguns jogos, mas além da velocidade e dribles esporádicos, contribui pouco para a equipe.

Por isso um 0x0 com a Chape pela Sul-americana.

Números: Footstats.com