La decima copinha

Mais um aniversário de São Paulo (463), outra final de Copa São Paulo sub-20. Final entre o Copeiro Corinthians e a surpresa Batatais.

O Batatais jogou toda a responsabilidade da final para o Corinthians. Fechou-se com linha de cinco atrás (três zagueiros mais os alas) e, com marcação individual, fechava os espaços corintianos e anulava o ataque de 28 gols (líder da competição).

O time corintiano é bem montado, com jogadores melhores do que o adversário, investe muito mais na base e tem uma camisa muito mais pesada. Do outro lado, a base do Batatais é financiada por um vereador preso por corrupção, o time foi montado em cima da hora.

Por causa do “gato” do Paulista a vaga na final caiu no colo do Batatinha , mesmo perdendo de 5x1(!) na semifinal — decisão questionável.

O sol da tarde paulistana — este ano o jogo foi as 16h, não pela manhã — cansava os garotos dos dois times, o primeiro tempo foi movimentado, o Corinthians tomou as rédeas da partida, mas parou na marcação, na trave e ficou no 0x0. O segundo tempo seguiu igual, mas, aos poucos, com o cansaço, a marcação do clube do interior foi afrouxando, o técnico do Batatinha continuava com os mesmos 11 inciais em campo.

O Corinthians chegou. Troca de passes, cruzamento na área e centroavante corintiano Carlinhos cabeceou para o gol. No minuto seguinte, passe de Carlinhos para Marquinhos — assistente no primeiro gol — fazer o 2x0 e matar o jogo. Timão campeão.

O goleiro Gerson do Batatais é um dos destaques, mas tem um movimentos técnicos meio estranhos, dava para pegar nos dois gols.

Antes do apito final Pote marcou um golaço para o Batatais, tarde demais. 2x1.

La decima corintiana veio, que desta vez o Timão aproveite melhor a base, mesmo não sendo está a melhor geração do terrão. Carille conhece o time, Mantuan, Guilherme e Pedrinho aparecem como os primeiros a serem aproveitados pelo time de cima.