Quanto vale a Liga Europa para o United?

(Foto: Gol.com)

O Manchester United é um clube enorme, com tamanho para ser um dos super-times do mundo ao lado de Bayern de Munique, Barcelona e Real Madrid.

Mas no momento atual, como time de futebol, não. Sem vencer a Premier League desde 2013 vive um momento de entressafra após a saída de Alex Ferguson e inicio de uma nova era na história do clube.

Por isso o título da Europa League — inédito — vale muito para o time na atual temporada. Ela começou ruim, com o time sendo questionado por ficar distante da disputa do título da Champions e perder para o rival da cidade no primeiro Derby.

Mourinho foi virando o “Luxemburgo” europeu, como sugeriu Mauro Cezar naquela altura da temporada, mas com o tempo a coisa foi mudando. Ibrahimovic foi levando o time pra frente, a defesa encaixou e veio a taça da Copa da Liga.

Esse time foi avançando na Europa Liga e acabou priorizando a competição que dá vaga a Champions League. Na hora da final Ibra estava fora de disputa, do outro lado tinha o Ajax, tradicional equipe holandesa, longe dos holofotes a muito tempo, que com um time jovem — média de idade de 22 anos — apresentava um ataque muito forte e veloz.

Para ser campeão veio a estratégia de Mou. A equipe foi pragmática, ele mesmo afirma, anulou as jogadas do adversário e usou o jogo de encaixe que Bielsa explicou na sede da CBF na semana de palestras no Rio de Janeiro. Felaini na frente do triângulo para marcar Schone — como no desenho das escalações acima.

No meio encaixe, atrás marcação por zona e diminuição de espaços.

- Tem muitos poetas no futebol, mas poetas não conquistam muitos títulos. Sabíamos que éramos melhores que eles e soubemos explorar as fraquezas deles. José Mourinho

No final das contas ele acabou anulando o ataque adversário e saindo como uma vitória de 2x0 sem sofrer sustos, mas com um jogo meio “chato” como definiu Peter Bosz, técnico do Ajax.

Mourinho nunca perdeu um final Europeia (Foto: Getty Images)

Mourinho alfinetou Pep Guardiola e no final das contas acaba melhor a primeira temporada no comando do United que o espanhol no do City. Ano que vem, mais ambientados a Manchester, e com a equipe, medem força nos campeonatos nacionais e na Champions League. Prometem muita coisa ainda pela frente.