São Paulo diferente e a mesma fila de 15 anos

Aplaudido. Assim Rogério Ceni entrou em campo, mesmo depois de muita pressão sobre ele com os maus resultados na temporada.

A partida tinha torcida única no Morumbi, pela terceira rodada do BR-17 e os tricolores viram o Palmeiras ter 60% de posse de bola no primeiro tempo. A postura Tricolor era de jogar no erro palmeirense, assim se fechava no novo esquema: o 3–4–3. Correu poucos riscos, Lucão, Maicon e Rodrigo Caio fizeram o trio de zaga.

No Alviverde, Cuca estreou Mayke na lateral-direita, Michel Bastos foi na esquerda, Jean no meio e Guerra de falso nove. Um esquema diferente que, por vezes, tinha Felipe Melo iniciando as jogadas ao lado de Mina e Juninho, formando uma linha de três. Mina aproveitava e aparecia no ataque.

No segundo tempo o São Paulo começou mais agressivo na marcação, mas ainda com a mesma estratégia. Aos 18 minutos, Marcinho deu ótimo passe para Pratto. O atacante finalizou de primeira, sem ângulo, entre Prass e a trave. Gol.

Um pouco depois, Keno entrou no lugar de Guerra, fez uma jogada pela esquerda e Jean foi derrubado por Jucilei na área. Pênalti. Que Jean perdeu.

O São Paulo se sentia mais a vontade na partida, o ataque palmeirense pouco funcionava, faltava agressividade, mesmo quando Borja entrou na equipe.

Do outro lado, a dupla Pratto e Luiz Araújo funcionava muito bem. Passe do primeiro para gol do segundo. O 2x0 que matou o jogo — Após a partida, Prass confessou que o primeiro e o segundo gols eram defensáveis.

Pratto foi o melhor em campo, Luiz Araújo deu velocidade, Rodrigo Caio parou boa parte dos ataques alviverdes. Foram os três melhores são-paulinos em campo — os dois últimos podem sair do clube na próxima janela.

Foi um resultadaço para o São Paulo. O time mudou de postura, não é mais a equipe de posse de bola e ofensiva. Agora é mais contida, com um defesa mais solida e jogo simples. Ceni montou o time pensando no adversário.

O resultado é importante para recuperar a confiança na equipe, o desempenho nem tanto, a partida foi fraca no geral, ao menos mostra um Tricolor mais competitivo.

São Paulo vai a seis pontos no BR-17, o Palmeiras estaciona nos três.


O Palmeiras ainda sofre com as oscilações e erros determinantes nos jogos. Errou nos momentos capitais do clássico, ainda sofre para fazer o maior investimento virar o maior time.

O Palmeiras continuará mais um ano sem vencer no Morumbi. Já são 15 anos, 15 vitórias tricolores e 9 empates. A fila continua…