Super Chile freia Cristiano Ronaldo


A geração de ouro do Chile chegou a terceira final seguida (após vencer duas Copas Américas), além de talentosa a geração é muito forte psicologicamente e mantem uma filosofia de jogo desde Bielsa.

Deixou pelo caminho a seleção portuguesa do gajo C Ronaldo, o atual melhor do mundo. Muito por causa dele, os encarnados foram considerados os favoritos da competição, na semifinal o camisa sete fez um jogo discreto. Com duas grandes chances portuguesas Ronaldo criou uma e definiu a outra. Ambas tiveram boas defesas de Bravo.

A verdade é, o jogo equilibrado, 0x0 até o final da prorrogação, teve o time chileno mais firme nas ideias de jogo e na confiança. Com mais posse de bola, teve melhores oportunidades — com direito a uma bola na trave de Vidal e outra de Hernández no mesmo lance, no final do segundo tempo da prorrogação.

Na decisão de pênaltis apareceu o Claudio Bravo que Guardiola imaginou quando o trouxe do Barcelona. O goleiro fez três defesas de pênaltis e garantiu a ida a final. Ronaldo não bateu nenhum penal.

A última eliminação do Chile veio em 2014, no dia 28 de junho, exatamente a três anos. Foi nas oitavas de final da Copa do Mundo contra o Brasil, nos pênaltis. Naquela ocasião após Pinilla acerta a trave aos 14' do segundo tempo da prorrogação. Hoje houve também a bola na trave (no mesmo minuto) e os pênaltis, mas desta vez classificação.

Portugal ganhou a Euro, o desempenho na Copa das Confederações foi parecido, a diferença foi não ter enfrentado nenhuma equipe como os chilenos, com espirito forte em decisões. Vale lembrar, houveram apenas dois bons jogos em 2016, a semifinal e a final. Venceu País de Gales e a França nestes jogos.

O Chile vai a final com muita moral e pinta de favorito. A Alemanha fez um jogo bem parelho com eles na fase de grupos, falta experiencia, o México levou 7xo na semifinal da última Copa América contra os sul-americanos.