Ex-repórter da ESPN insinua que foi demitida por ser conservadora

Britt McHenry, 31, acha que uma das razões por que foi chutada da ESPN em abril deste ano é o fato de não alinhar suas opiniões com o ex-empregador.

Em reportagem do website Daily Wire, a repórter responde a um link no twitter que criticava a posição esquerdista do canal esportivo, dizendo que:

“Eu tenho sido abertamente conservadora…olhe como isso terminou…”

A mensagem foi deletada depois.

O jornal New York Post fez uma matéria sobre o caso e corroborou a posição política da jovem:

“McHenry tem sido vocal e fechada em seus pontos de vista políticos. A repórter de 31 anos participou de um evento do Partido Republicano em dezembro passado, por exemplo, e capturou a noite em uma foto dela com Paul Ryan, postando na sua conta Instagram — que ela posteriormente excluiu. Na semana passada, McHenry sutilmente ‘curtiu’ o tweet de outro repórter zombando de Colin Kaepernick, que criticou as recentes absolvições de policiais nos tiroteios contra homens negros.”

Britt McHenry também saudou a nomeação do juiz Neil Gorsuch para a Suprema Corte Americana:

“Amo a nomeação do juiz Neil Gorsuch”

Gorsuch foi mais uma promessa cumprida do Presidente Donald Trump, que prometera, durante a corrida presidencial, a indicação de um juiz conservador para a cadeira vaga da corte. Neil Gorsuch é o que os conservadores chamam originalista, partidário da corrente de pensamento que interpreta a constituição de acordo com a época em que foi escrita. É a antítese do que presidentes democratas pensam, pois tendem a nomear juízes que veem a constituição como um organismo mutável; sua interpretação é, portanto, progressista, visando o futuro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.