É inteligente que Protestantes e outras denominações não católicas defendam “Retorno da Monarquia”? — Fraude monarquista #5: “A monarquia garantia, entre outras liberdades, a religiosa”.

Dada a situação política de nosso país… que por conta de uma insatisfação generalizada pelas políticas e agendas culturais de esquerda, um movimento contracultural enviesado à direita ganhou força. No meio desde movimento onde vários grupos diferentes concorrem pela atenção das massas descontentes, está o grupo dos que defendem o retorno à monarquia. Uma análise não muito precisa das pessoas que defendem essa agenda pode revelar perfis bem variados, que entretanto, em sua maioria, se definem como: Conservadores.

Significa isso que todo conservador é monarquista? Não. Apenas indica que ao lidar com um monarquista, provavelmente ELE SE IDENTIFICARÁ como conservador. Porém isto não é uma regra.
Outra coisa que é um fenômeno completamente novo: Encontrar perfis de PROTESTANTES e outras vertentes religiosas que defendem a monarquia por entender que ela está de alguma forma atrelada ao conservadorismo… ou seja, essas pessoas enxergam a defesa da monarquia como a defesa do próprio conservadorismo.

Mas o que foi a monarquia brasileira no que diz respeito a liberdades comuns e religiosas?

👉 Monarquia — Restrição à liberdade de culto:

A Constituição Imperial de 1824 em seu Artigo 5 dizia:

“Art. 5. A Religião Catholica Apostolica Romana continuará a ser a Religião do Imperio. Todas as outras Religiões serão permitidas com seu CULTO DOMÉSTICO, ou PARTICULAR em casas para isso destinadas, sem fórma alguma exterior do Templo.

👉 Monarquia — Ausência de liberdade política para não católicos e pobres:

Art. 95. Todos os que podem ser Eleitores, abeis para serem nomeados Deputados. Exceptuam-se:
1️⃣ Os que não tiverem quatrocentos mil réis de renda liquida, na fórma dos Arts. 92 e 94. 
2️⃣ Os Estrangeiros naturalisados.
3️⃣ Os que não professarem a Religião do Estado.

Resumo: Cultos não católicos eram marginalizados, sem templo, sem demonstração pública de fé, e as pessoas eram obrigadas a professar a fé católica caso desejassem participar da política.

👉 República — Evolução da equidade, liberdade política, e liberdade religiosa.

Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (1891):

Art 11 — É vedado aos Estados, como à União:
2️⃣ Estabelecer, subvencionar ou embaraçar o exercício de cultos religiosos; (estado laico).

Emendas constitucionais de 1926:

Art 72 — A Constituição assegura a brasileiros e a estrangeiros residentes no paiz a inviolabilidade dos direitos concernentes á liberdade, á segurança individual e á propriedade, nos termos seguintes:
2️⃣ Todos são iguaes perante a lei. A Republica não admitte privilegios de nascimento, desconhece fóros de nobreza, e extingue as ordens honoríficas existentes e todas as suas prerogativas e regalias, bem como os titulos nobiliarchicos e de conselho
3️⃣ Todos os individuos e confissões religiosas PODEM EXERCER PUBLICA E LIVREMENTE O SEU CULTO, associando-se para esse fim e adquirindo bens, observadas as disposições do direito commum.
4️⃣ A Republica só reconhece o casamento civil, cuja celebração será gratuita.

Constituição Federal de 1934 Artigo 5º:

VI — é inviolável a Liberdade de consciência e de crença sendo assegurado o LIVRE EXERCÍCIO DOS CULTOS religiosos […] e, garantida na forma da Lei, a PROTEÇÃO AOS LOCAIS DE CULTO e suas liturgias;
VIII — […] ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar cumprir prestação alternativa, fixada em Lei.

É bom lembrar também que as uniões de casamento protestantes não eram reconhecidas pelo estado confessional católico. Todos as liberdades demonstradas acima a partir do advento da república, assim como o estado laico… vieram a existir e evoluíram no Brasil, conforme eram fortemente influenciadas pela reforma protestante, fato, que faz muito católico monarquista, ficar enfezado (o que também é recorrente, em comunidades monarquistas):

Você acredita que na concepção desses militantes católicos, protestantes, evangélicos e outras vertentes não católicas deveriam ter liberdade religiosa?
Eles não consideram protestantes nem mesmo cristãos:

Enquanto os “formadores de opinião” deixam bem claro a que propósito serve a agenda da monarquia (inclusive culpando protestantes das mazelas da própria igreja católica), encontramos protestantes muito alegres popularizando exatamente os mesmos tipos de fraudes que esse blog tomou por objetivo expor:

Alguns protestantes evangélicos se sentem como “levando a luz da verdade” ao defender monarquia, enquanto não passam de fantoches de uma agenda.

Engraçado que no vídeo acima a evangélica não sai dos lugares comuns do eixo central da fraude dos monarquistas:
 👉 Relativizar escravidão.
 👉 Mentir que Pobres e pessoas comuns tinham participação efetiva na política.
 👉 Fazer afirmações absurdas sobre a marinha brasileira, e sobre as condições econômicas do país que qualquer documento oficial põe por terra.

O fato é que a youtuber evangélica Paula Marisa não teria liberdade religiosa nem política durante a monarquia, e isso não se encontra em um livro que pretende ser “politicamente incorreto”, mas na PRÓPRIA CONSTITUIÇÃO do período monárquico demonstrada neste artigo.

Outros protestantes ainda por coleguismo ideológico preferem se fingir de isentos ignorando a agenda católica em progresso e tratando-a como mero “debate de idéias”:

Não sabemos que “força intelectual” é vista por esse olavete, que busca refugio em teoria de conspiração pra negar as ações da própria igreja. Se a fé religiosa é coisa séria, ela busca a verdade, e não tenta “ficar bem na fita” com a mentira.

Cabe a todo protestante que ler este artigo um exame de consciência:

  • Será que realmente vale a pena defender um retorno a esse sistema, conhecendo a agenda, os propagandistas e o que eles pensam sobre pessoas como você?
  • Vale a pena ignorar os fatos, em prol de uma mentira somente porque essas pessoas supostamente lutam contra a esquerda?
  • Você é capaz de perceber que a concepção de liberdade religiosa entre um católico monarquista e um protestante são completamente diferentes?
  • Será que ao aperceber-se que deve combater ideologias (como a esquerda), você não está se tornando “idiota útil” de outra ideologia?

Pois bem, pense sobre isso.

P.S: Aviso aos monarquistas que vem chorar nos comentários: É inútil, nosso blog continuará postando rotina após rotina, e esperando que vocês continuem vindo nos comentários colaborar com mais rotinas a ser desmascaradas.

https://www.facebook.com/brigadapolitica/