Agendas de uma direita delirante: Revisionismo e defesa da inquisição católica— Quem são os propagandistas?

Depois de mais de 30 anos numa espiral do silêncio, a direita resolve abrir sua caixa de pandora, e o que sai dela é mais do mesmo… tão mais do mesmo que não surpreende porque ela foi colocada na espiral do silêncio outrora.

Com este artigo abrimos a série de exposição de agendas de revisionismo.
Grupos revisionistas surgem como forma de reescrever uma história repleta de eventos vergonhosos no passado, ou até mesmo uma maneira de popularizar-se em busca de poder político e cultural. O revisionismo histórico em si não é ruim quando pautado em evidências e fatos verificados, em busca de uma verdade honesta e uma melhor compreensão da história. Já feito com intenções políticas de obtenção de poder, vai deixar rastro de incoerência e diversas fraudes pelo caminho… fraudes que este blog vai encontrar.

Dentro do espectro ideológico de direita observa-se neste momento histórico do país, uma certa popularização (intencional) de três frentes revisionistas, e as três são católicas:

1 — Revisionismo histórico da Inquisição Católica.
2 — Revisionismo histórico da Monarquia católica Brasileira.
3 — Revisionismo histórico do envolvimento da igreja católica com o Nazismo, Fascismo e até mesmo o comunismo (na américa latina).

Vamos abordar o primeiro item das agendas de revisionismo sem explicações extensas e de forma direta, pois as imagens são auto explicativas.

Antes de tudo: TODOS OS PRINTS COLETADOS SÃO DE PERFIS PÚBLICOS, COM COMENTÁRIOS PÚBLICOS feitos em redes sociais. Logo vir em nossa página reclamar de “uso indevido de imagem” vai render além do desmascaramento público habitual, uma boa dose de ridicularização.

1 — Revisionismo histórico da inquisição católica.

Um dos mais conhecidos defensores da revisão histórica da inquisição (e também da monarquia, pois são agendas correlatas) é o formador de opinião, que é tratado como “Guru”, “Mestre Intelectual”, “salvador da direta” do qual supostamente toda uma “alta cultura” deveria emanar: Olavo de Carvalho.

Sim, é isso mesmo que você está lendo. O “mestre”, intelectual “que salvou o Brasil da esquerda” afirma que a inquisição é história da carochinha, uma propaganda criada em uma “conspiração global protestante”. A idéia é por si mesmo ridícula e em geral acompanhada por diversas fraudes que serão refutadas em artigos posteriores nesse blog. Ignorando momentaneamente a ironia de Olavo escolher morar no país mais protestante do mundo (EUA), é notório que mesmo em seu perfil facebookeano, ao mínimo questionamento RACIONAL já ficou sem resposta:

“A prova da conspiração é ausência de evidências da própria conspiração”

Pra variar o gado, vulgo “seguidores”, atuam como ecos da afirmação do mestre:

É surpreendentemente que dentre os milhares de seguidores do astrólogo amante de literatura gnóstica e “católico fervoroso”, se encontrem diversos Protestantes — o que deve ser um dado notório ou da ignorância, ou até mesmo da sanidade mental de tais pessoas.

Outro propagandista dessa agenda é o Padre católico Paulo Ricardo, que ministra até um cursinho pra que você possa sair por aí dizendo o mesmo que o olavo:

Já na apresentação do curso se induz que “tortura, fogueira e perseguições” é tudo lenda, ou “falsa ideia”. É facilmente perceptível que aqueles que tem por objetivo popularizar a agenda atuam das mais variadas formas:

👉 Negam que a inquisição era organizada e contava com o poder da igreja (estratégia de descentralização)
👉 Negam que torturas ocorreram com o aval, instrução, conhecimento e tutela da igreja (Falácia Ad Ignorantiam — terceirizada)
👉 Negam que a tortura era o meio qualificado pela qual a igreja exigia do estado que confissões fossem obtidas (Mentira pura e simples)

Como essas existem muitas outras. Contudo, para outros, não é necessário negar a inquisição… apenas torná-la uma ferramenta civilizatória que contribuiu para humanidade, ou no mínimo retirar da igreja a responsabilidade de suas atrocidades colocando-a em supostos “indivíduos que agiam por conta própria”:

E assim a agenda vai ganhando popularidade, por vir da boca de pessoas que se declaram “anti esquerda” e supostamente interessados na defesa moral dos bons costumes. Apenas não revelam que moral e bons costumes são esses.

Alguns católicos não tem por objetivo revisionar inquisição… mas apoiá-la como ela sempre foi, um “instrumento de purificação”, com o detalhe (mero detalhe) da extinção da liberdade religiosa, a partir do ódio pelos protestantes:

É claro que ao ver esse print, os católicos vão fazer que nem os esquerdistas e afirmar que “é uma minoria radical”. Mas assim como na questão islâmica, uma maioria que se cala frente a esse tipo de minoria É IRRELEVANTE.

Como se nota esses indivíduos seguem agendas que EM NADA DIFEREM de QUALQUER IDEOLOGIA que prega a morte de seus inimigos, ou relativizam suas ações danosas em prol de sua crença. Seja na “fogueira” ou na “ponta do fuzil” é evidente que uma parte da direita é tão psicopata, suja, detentora de uma moral dúbia e revisionista como qualquer marxista seguidor de Stalin, ou militante do PSOL que prega derrubada violenta da burguesia.
São pessoas como essas que foram elevadas à pedestais morais como “formadores de opinião e intelectuais” de direita, ou bastições morais na luta contra o comunismo.

A partir de agora neste blog, vamos sempre trazer mais prints (esses foram selecionados entre pouco mais de 30) para expor e atualizar nossos leitores do andamento dessa agenda junto com toda estrutura de fraudes históricas, retóricas e argumentativas que ela traz consigo.
Aguardem novidades!

https://www.facebook.com/brigadapolitica/