O marxismo, o aliciamento ideológico e a destruição das futuras gerações. Uma aula de verdade sobre Karl Marx.

Sermos um dos países com pior desenvolvimento educacional, figurando nos últimos rankings internacionais não é o maior problema da educação, antes é apenas o reflexo de algo muito pior.

Neste vídeo acima, o doutrinador que induziu esses adolescentes a cometerem este ato abjeto de vergonha alheia… o qual diga-se, vai envergonhá-los durante anos de sua vida adulta (pois a internet não esquece)…não deve em hipótese alguma ser chamado de professor, é um aliciador ideológico de menores.

Nenhum desses jovens teria um celular em suas mãos para gravar essa cena fatídica não fosse o capitalismo — Até o momento não temos conhecimento de que Cuba esteja “socializando” celulares de última geração de forma gratuita e não temos visto conteúdos sensacionais produzidos com câmeras de alta resolução vindas daquele país. As blusas “GAP” ou derivadas, os tênis “NIKE” também não vem de lá, vem de outro país comunista — a CHINA, que incrivelmente não “socializa” nada, VENDE por um “bom preço” uma vez que o comunismo naquele país conseguiu criar redutos repletos de escravos que trabalham única e exclusivamente PARA O ESTADO, eliminando qualquer concorrência que se pauta em valores minimamente democráticos.

Vamos corrigir estes adolescentes, porque coitados… foram sujeitos à um alienador ideológico, e nesse caso o serviço é de utilidade pública (vamos à aula):

1 — Karl Marx não era economista, nem sociólogo. Era, segundo sua própria definição tosca: um “pequeno burguês” que nunca trabalhou em toda sua vida.

O Socialismo pequeno-burguês (da pequena burguesia urbana). Não se apóia no proletariado, mas nos artesãos em via de desaparecimento, na pequena burguesia das cidades e, em parte, nos intelectuais.
(ABC do Comunismo, capítulo III, § 22)
Sua família, abastada e culta, não era revolucionária. Terminando os estudos no Liceu de Treves, Marx entrou para a Universidade de Bonn, indo depois para Berlim, onde estudou direito e, sobretudo, história e filosofia. Em 1841(…)
(Figuras do Movimento Operário: Karl Marx — V. I. Lênin, Novembro de 1914)

Ou seja, não foi economista, nem sociólogo. De fato não existe registro nem mesmo de um cursinho de verão nessas duas disciplinas. Marx nasceu em uma FAMÍLIA RICA e seu pai era ADVOGADO — o que se enquadrava na descrição de pequena burguesia intelectual. O próprio Marx posteriormente se considerava um intelectual e não renunciou os bens da família. Posteriormente se casou com uma aristocrata (outra burguesa).

Ficou mal visto e desacreditado em sua época porque afirmava que as revoluções exigiam uma DITADURA DO PROLETARIADO, o que por sua vez se daria por conflito armado:

“Compreende-se que nos conflitos sangrentos que estão iminentes, como em todos os anteriores, são principalmente os operários que, pela sua coragem, a sua decisão e abnegação, terão de conquistar a vitória” (…)
Durante o conflito e imediatamente após o combate, os operários, antes de tudo e tanto quanto possível, têm de agir contra a pacificação burguesa e obrigar os democratas a executar as suas atuais frases terroristas.”
(Mensagem da Direção Central à Liga dos Comunistas — março 1850)
Esboçando em linhas gerais as fases do desenvolvimento proletário, descrevemos a história da guerra civil, mais ou menos oculta, que lavra na sociedade atual, até a hora em que essa guerra explode numa revolução aberta e o proletariado estabelece sua dominação pela derrubada violenta da burguesia.”
“ Mas a burguesia não forjou apenas as armas que lhe trazem a morte; também gerou os homens que manejarão essas armas — os operários modernos, os proletários.”
É natural que o proletariado de cada país deva, antes de tudo, liquidar a sua própria burguesia.”
(Manifesto do Partido Comunista — I.Burgueses e Proletários.)

Obviamente que ele foi expulso de vários lugares pelo estímulo à revoluções violentas, e como não tinha nenhum interesse no trabalho assalariado, passou a viver à custas de outras pessoas (em especial seu amigo também burguês), obviamente usando a desculpa de que estava promovendo a “revolução”:

“ sem o apoio constante e devotado de Engels, Marx não só não teria podido completar O Capital, como ainda teria sucumbido à miséria
(Figuras do Movimento Operário: Karl Marx — V. I. Lênin, Novembro de 1914)

Dos seis filhos que teve com a esposa, três morreram na primeira infância, em decorrência do estado de pobreza a que foram submetidos, e três cometeram suicídio (as filhas Jenny, Laura e Leonor), como se não fosse o bastante, pra quem falava muito sobre opressão… em especial da hierarquia entre burgueses e proletariados…ele mantinha relações sexuais extraconjugais com sua empregada resultando no nascimento de um filho o qual ele NUNCA ASSUMIU. Enfim, é provável que como Marx achava que o casamento era uma das primeiras estruturas de opressão e que todas as pessoas deveriam ser mais “emancipadas”, ele deixou sua família praticamente morrer de fome para que fossem emancipados de suas próprias vidas porque não suportava a ideia sufocante de ser um provedor.

Em suma, Marx foi um filósofo fraudulento, degenerado, fracassado, parasita, mentiroso, violento, traidor e indolente … e tudo isso é refletido em suas “teorias” sobre o trabalho alheio visto que ele mesmo vivia à custa dos burgueses que ele queria tanto matar. Assim também suas relações pessoais refletiam o ódio de sua própria condição humana — provavelmente um traço fortemente influenciado pelo niilismo Nietzschiano que no afã de superar o desprezo pela humanidade criava fábulas sobre o “novo homem” (Übermensch) que posteriormente também influenciariam o Nacional Socialismo.

2 — “Mais valia” é uma fraude.

A “mais valia” parte integrante da “Teoria do Valor Trabalho” foi refutada pela teoria da “Utilidade Marginal”, desenvolvida simultaneamente por três ECONOMISTAS REAIS: Stanley Jevons (Inglaterra), Leon Walras (França) e Carl Menger (Áustria). Já a inviabilidade do modelo econômico proposto por Marx foi demonstrado pelos economistas austríacos Ludwig von Mises e Friedrich A. Hayek . 
Os economistas citados demonstraram que o valor de uma mercadoria é definido pela necessidade de tal mercadoria, sendo apenas secundário o trabalho envolvido em sua produção, e que a necessidade de tal mercadoria aumenta ou diminui em função da procura populacional e demanda produtiva. Não adianta investir trabalho seja ele qual for, em uma mercadoria que ninguém quer e nem sente a necessidade de possuir. Marx também desconsiderava o “empreendedorismo” — quando alguém adquire conhecimento específico e arrisca seus próprios bens na abertura de um negócio o qual não sabe se vai vingar . O empreendedorismo é um comportamento diferenciado se comparado ao do trabalhador comum, que tem por objetivo cumprir seu horário e receber seu salário sem muito envolvimento em questões de risco financeiro.

3 — Karl Marx não é “Baile de Favela”.

Porque antes, em sua própria linguagem temporal denominava as pessoas extremamente pobres de “LÚMPEM-PROLETARIADO” — denominação a qual a descrição mais simples é: “bêbados, degradados, indigentes, ladrões, desinteligentes, cínicos, bandidos, prostitutas e pessoas sem criatividade” que estavam à margem da sociedade e do proletário comum. Vejamos:

“Finalmente, o mais profundo sedimento da superpopulação relativa habita a esfera do pauperismo (extrema pobreza). Abstraindo vagabundos, delinquentes, prostitutas, em suma, o lumpemproletariado propriamente dito, essa camada social consiste em três categorias: 
Primeiro:
os aptos para o trabalho (…)
Segundo: órfãos e crianças indigentes.(…)
Terceiro: degradados, maltrapilhos, incapacitados para o trabalho.
(‘O capital” /1985/— página
208–209 )
“ Não é de admirar que, na prática, os anarquistas (…) Refletem as idéias e as aspirações, não da classe operária, mas do que se chama o lumpemproletariado, o proletariado de pés descalços, que vive mal no regime capitalista, mas que é incapaz de qualquer trabalho independente e criador.
(ABC do Comunismo, capítulo III, § 22)
O lumpemproletariado, esse produto passivo da putrefação das camadas mais baixas da velha sociedade, pode, às vezes, ser arrastado ao movimento por uma revolução proletária; todavia, as suas condições de vida o pré dispõe mais a vender-se à reação para servir às suas manobras.
(Manifesto do Partido Comunista — I.Burgueses e Proletarios.)
o lúmpen-proletariado de Paris fora organizado(…) Lado a lado com
roués [libertinos] decadentes com duvidosos meios de vida e de duvidosa procedência, junto a descendentes degenerados e aventureiros da burguesia, vagabundos, licenciados de tropa, ex-presidiários, fugitivos da prisão, escroques, saltimbancos, delinquentes, batedores de carteira e pequenos ladrões, jogadores, alcaguetes, donos de bordéis, carregadores, escrevinhadores, tocadores de realejo, trapeiros, afiadores, caldeireiros, mendigos — em suma, toda essa massa indefinida e desintegrada.
(
O 18 de Brumário de Louis Bonaparte — capítulo V)

Ou seja, Marx considerava gente de extrema pobreza como a escória da humanidade colocando bandidos, órfãos, crianças e pessoas sem condições físicas de trabalho no mesmo balaio de gato, ainda que achasse que poderiam ter algum propósito se fosse pra fazer avançar a revolução de proletários digamos assim…mais dignos.

“Pela ideologia …(e pela)… alienação”

Não é preciso dizer que essa frase dita no vídeo entrega todo o jogo não é?
Vamos à ultima lição do artigo:

4 — JAMAIS CONFIE EM PROFESSORES QUE SÃO MILITANTES POLÍTICOS EM SALA DE AULA, principalmente se o professor em questão estiver ligado à algum partido político, como PSOL, PCdoB, PT, PMDB, NOVO, PSL, PSDB, PSC ou qualquer outro.

Por fim FICA REGISTRADO MAIS UM CASO DE DOUTRINAÇÃO IDEOLÓGICA, onde fica claro o doutrinador disfarçado de professor fazendo os alunos repetirem mantras e slogans pela “ideologia”, assim alienando-os de dados fundamentais para uma maior compreensão e análise crítica da história. E ainda por cima se baseando em fraudes para afirmar que Marx era o que nunca foi.

Sempre, sempre que um esquerdista se fingir de besta e colocar em dúvida a existência da doutrinação ideológica você deve tratá-lo pelo que ele é: UM FRAUDADOR, UM CÚMPLICE DE ESTUPRO INTELECTUAL DE MENORES, UM ALICIADOR IDEOLÓGICO DE MENORES. Alguém que não respeita a autoridade moral dos pais sobre os filhos, não respeita a neutralidade ideológica do estado, alguém que deseja sequestrar mentalmente seus filhos, apartá-los do seu convívio e torná-los membros dessa seita marxista…uma seita burra baseada em revoluções que envolve cuspir, cagar e mijar como forma de protesto, enquanto aplaude ditadores assassinos porque prometeram “mais igualdade”. O resultado da doutrinação? não poderia ser pior… algumas daquelas crianças do primeiro vídeo vão crescer e se transformar nisso aqui:

NOTA: Todas as fontes citadas são materiais produzidos pelos próprios marxistas. Fica aqui o nosso agradecimento :D

#EscolaSemPartidoJá

siga-nos: facebook.com/brigadapolitica/