Olavo explica porque não é evangélico, e (usando NOVAS fraudes) apenas demonstra porque muitos não são católicos — Parte 2.

Depois das respostas de vários evangélicos, o guru ficou pistola.

BrigadaBrasil
Sep 14, 2018 · 5 min read

Em rede social, deu a louca e escreveu impropérios (estes ficarão para o artigo final). Como o pessoal protestante compartilhou muito o vídeo de Yago Martins (que postamos em artigo interior), Olavo então escreveu um artigo chamado “Explicação desnecessária”, no qual ele vai mesmo sendo desnecessário… EXPLICAR-SE. O que interessa pra nós aqui, é apresentar duas mentiras contidas em seu novo artigo.

Vamos à primeira mentira:

Será mesmo que falsificaram o argumento de Olavo? Será que Olavo não falou sobre o Evangelho e somente sobre as “palavras literais de Cristo? Vamos nos lembrar do que ele afirmou antes?

Ou seja, antes Olavo fala sobre “parte nenhuma do evangelho”, agora diz que que “não estava falando da Bíblia inteira”, e sim de “palavras literais”. É o que chamamos de “mudança de modo”, e não é a primeira vez que Olavo faz isso. Vamos dividir suas duas alegações e comentá-las pra ficar mais fácil a leitura:

Afirmação 1: “Em parte nenhuma do Evangelho existe “salvação por leitura”
— Ora, se não está “em parte nenhuma do evangelho”, logo não está na “Bíblia inteira”. Como poderia estar em alguma parte da bíblia (inteira ou não) se não está em “parte nenhuma”? Não se engane, Olavo não fugiu das aulas de lógica, ele só é picareta mesmo. A acusação de “falsificação do argumento” é FALSA.

Afirmação 2: “Não há qualquer trecho, frase ou palavra de Cristo que (literalmente) recomende a leitura”
— É aqui onde para Olavo a porca torce o rabo…
Notou que Olavo mistura duas coisas? Uma alegação de que a “crença na leitura, salva”, com outra alegação sobre “não recomendação da leitura”. Só que:
👉A) Acreditar que “leitura salva” é uma coisa.
👉B) Cristo não ter usado palavras literais para “recomendar leitura” da Escritura, é outra coisa.

Mas o que isso significa?
Que duas coisas foram misturadas, mas não possuem relação entre si, porque:

👆 A alegação (A), que Olavo chama de “crença de salvação por leitura” é um espantalho (evangélicos não afirmam que “leitura da escritura salva”)

👆 Na alegação (B) Olavo comete uma mudança de modo. Em vez de avaliar um provável efeito da leitura (que em A ele chamou de crença), agora afirma que a leitura em si mesma — “não foi literalmente recomendada”.

Jesus não necessitava recomendar literalmente a leitura da escritura — Porque JÁ ERA LIDA em sinagogas, e citada cotidianamente COMO PARTE DA TRADIÇÃO. A leitura da escritura está implícita nas ações de Cristo, como já citamos em artigo anterior, ele mesmo lia, repetia trechos, falava acerca de cumprimentos proféticos, e questionava outros sobre o que eles entendiam quando liam.

Qual é a pegadinha em misturar essas duas coisas?
Explicamos: uma coisa é confirmar que APENAS a leitura da bíblia não salva ninguém, OUTRA COISA É INSINUAR que por isso — a leitura da bíblia, a crença na sua veracidade, e no testemunho dos apóstolos registrados nela — sejam irrelevantes ou secundários em função de tradições e dogmas de uma instituição. E é exatamente essa a intenção de Olavo: uma vez que evangélicos não se curvam aos dogmas e tradições de sua igreja, ele insinua que fazem isso por “biblismo”. Então em uma de suas crises fuleiras de chantagem emocional com os evangélicos que ainda o seguem, ele criou o espantalho. Agora que o espantalho foi exposto, olhe a ironia — ele FINGE QUE O CONTEXTO ERA OUTRO — de “outra época”. Para demonstrar que não estava usando espantalhos, Olavo vai mostrar os tais “biblistas”, e vai usar … amhhhhh… a Bíblia.

É, é isso mesmo. Embora “nosso senhor” (segundo Olavo) nem recomendasse a leitura, o astrólogo vai ele mesmo provar… com a bíblia… que na época de Cristo existiam “biblistas”. Vamos à segunda mentira:

Mas o que diz João 5:39?

Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;
(João 5:39)

Note que novamente, A LEITURA DE OLAVO É SELETIVA. Ele se atém a parte do texto que afirma “vós cuidais ter nelas (as escrituras) a vida eterna” (somente nesse trecho ele tenta basear sua afirmação de que os evangélicos de hoje, buscam “salvação por leitura”). Bem, ele certamente desconsiderou (propositalmente, claro) o segundo trecho do texto onde Cristo diz: “são elas (as escrituras) que de mim testificam”. Nessa ocasião Jesus estava falando com JUDEUS TRADICIONALISTAS (e não ‘biblistas’). São os mesmos judeus a quem ele se refere (citando a escritura) em Mateus 15:6–9 — judeus que colocavam as tradições acima da fé, não apenas tradições já enraizadas, mas muitas as quais eles criavam e tinham pouco a ver com a adoração verdadeira.

Jesus não estava condenando a leitura da escritura, menos ainda o reconhecimento do que ela ensina, antes estava demonstrando que se aqueles judeus realmente acreditassem na escritura — reconheceriam Cristo, porque foram as ESCRITURAS que deram testemunho prévio dele, e é ELE aquele quem dá vida eterna. Isso é confirmado no versículos 46 e 47 que Olavo deve ter se esquecido de mostrar:

Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em mim;
PORQUE DE MIM ESCREVEU ELE
.
Mas, SE NÃO CREDES NOS SEUS ESCRITOS, COMO CREREIS NAS MINHAS PALAVRAS? (João 5:46,47)

Talvez Olavo tenha à resposta a essa pergunta de Cristo, nós achamos que não. A graça é que Cristo põe a mesma equivalência entre “escritos” e “palavras” — não deixando margem de dúvida alguma sobre a importância, confiabilidade e qualidade testamentária da escritura. Sendo assim, a tentativa de transformar esse evento em “uma condenação da crença na escritura”, é de uma safadeza incomensurável. O resto do texto de Olavo é o lixo intelectual de sempre:

1)Se comparar a grandes filósofos, como se isso tivesse algum valor no debate.
2) Bater em espantalhos de “Calvino e Lutero”, que são completamente irrelevantes quando vamos NA FONTE (a escritura).
3) Invocar o “Júlio Severo”, seu costumaz desafeto, e criticar a forma de culto ou outras ações de evangélicos.

A coisa é tão ridícula, caros leitores, que pra exemplificar, vamos demonstrar de forma bem didática:

A parte final desta série será apenas diversão! Aguardem.
siga-nos e compartilhe: facebook.com/brigadabr/

BrigadaBrasil

Written by

Blog sobre política diária, estratégia, curso de ação, debate, e se sobrar tempo um pouco de humor.