O desrespeito à fala de uma mulher

Nós também sabemos argumentar!

Um belo dia eu fiquei p da vida e fiz um medium! E eu não poderia começar este sem falar de uma das coisas que mais me magoa: a falta de respeito e de credibilidade que ocorre com as opiniões e argumentos das mulheres.

Eu sempre fui uma das CDFs da turma (exceto pra matemática à partir da 6ª série mas isso é assunto pra outro texto); mas isso se deve ao puro fato de que eu obedecia e respeitava as professoras, pois mamãe me educou assim. Eu ouvia, entendia, e se não entendia, perguntava. Eu respondia quando elas perguntavam pra turma (não era isso que elas esperavam?!). Com toda aquela rejeição aos CDFs que vocês bem conhecem, eu fui afastada pelos coleguinhas. Cresci sem praticamente nenhum amiguinho na escola. Isolada.

Na adolescência, já tinha meu círculo de amigos e as coisas estavam melhores. Mas eu ainda carregava do Ensino Fundamental essas crenças que você não podia aparecer demais (caso contrário “tava se achando”) e que falar o que sabe e até andar retinha era errado (hoje minha coluna sofre demais, como eu queria mudar isso no meu passado!).

Na faculdade de publicidade conheci pessoas maravilhosas, nas quais encontrei gostos e ideias em comum. Fomos instigados de toda forma, até pelo próprio convívio constante, a nos comunicar e expressar argumentos.

Porém, em todo esse tempo, mesmo de colegas de faculdade/profissão, foram incontáveis as vezes que eu ouvi “você sempre tem uma resposta pra tudo” e “você tem uma opinião forte”, ouvi também que isso era cansativo e chato. Me senti culpada, como já me senti n outras vezes antes, por ter uma opinião ou por saber algo.

Sabe quantas vezes eu ouvi ou li alguém falando isso para um homem? NENHUMA.

Vejo pelas redes sociais que isso não ocorre apenas comigo (e eu não sou a primeira a reclamar!), mas o machismo mora aí, não ouvindo nem respeitando argumentos e diminuindo a mulher com “está na TPM”, “tem uma opinião forte”, “é falta de sexo”, “nossa que chata você, para de reclamar!”.

E isso leva ao nosso silêncio. E o nosso silêncio nos destrói.

Por favor, mulheres, vamos mostrar que temos SIM poder de uma argumentação coerente sem mais medo!