O comum um dia já foi novidade

Aquele momento em que você usa o banheiro do shopping e na hora de lavar as mãos, não sabe como fazer a água sair da torneira. Por um instante, você se deparou com um objeto estranho, quase de outro planeta, que por algum motivo não tem onde pegar, nem nada pra girar, nem pra apertar. Até que alguém ao seu lado, com um ar de superioridade, apenas posiciona as mãos logo abaixo da torneira, e como mágica, HABEMOS ÁGUA. Nesse momento, a maioria da população já era acostumada com o modelo que basta apertar, e a água sai por um determinado tempo. E muito provavelmente, ela gerou situações parecidas quando surgiu. Nesse momento eu pergunto, quando algo novo deixa de ser novo e passa a ser comum, padrão, usável pela maioria?

Na rotina de um UX/UI, temos problemas recorrentes de coisas desse tipo. Hoje, muita gente sabe que 3 tracinhos no canto superior direito, muito possivelmente se trata de um menu. Mas sempre tem o pensamento de: "O pessoal não ta acostumado com isso". Nesse momento, geralmente alguém da empresa fala algo como "Faz do jeito normal mesmo", e toda a equipe de design torce o nariz e vê aquele horizonte de projetos mais do mesmo.

Os menos esclarecidos, acabam colocando a culpa na inovação, como se aquilo fosse fazer com que o projeto se torne impossível de ser usado. Lembra da primeira vez que você ligou um smartphone? Você precisou ler todo o manual antes de começar a usar? Muito provavelmente não.
A questão não é inovar ou ser tradicional, mas fazer com que a novidade em questão seja vista como algo útil, e não apenas perfumaria. Quer usar o ícone dos tracinhos como menu? Corre logo antes que ele fique tradicional demais. ;)

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Rodrigo Medeiros’s story.